domingo, 27 de setembro de 2009

Vergonha de ser gaúcho.

A cobertura leviana que está sendo dada ao fato que ocorre em Honduras pela imprensa brasileira é de enojar. Pior ainda é a total falta de liberdade que os veículos de informações do Rio Grande do Sul demonstram cada vez mais quando noticiam qualquer coisa que não seja relacionada ao futebol. A cobertura do grupo RBS, por exemplo, chega a ser ingênua, ou criminosa. Insistem em acusar de golpista um governo que nada mais fez do que seguir a sua lei maior. Repetem aos quatro ventos que foram os militares que tiraram Zelaya da presidência de Honduras, quando na verdade, o exército daquele país apenas cumpriu ordem emanada pela sua Suprema Corte que determinou a prisão do verdadeiro golpista. É evidente que ocorre uma manipulação vergonhosa e grotesca da verdade.
É neste momento que sinto verdadeira vergonha de ser gaúcho. Um povo que viveu em guerras, em disputas pela liberdade, tem no seu principal jornal motivo de vergonha e de submissão diante da grande mídia brasileira. Me envergonha que nós gaúchos estejamos sendo levados ao erro de condenar Honduras ao vilanismo, quando na verdade aquele país apenas exerce a sua liberdade e autodeterminação por ser uma nação independente e que ama a legalidade. Nós, gaúchos, deveríamos nos envergonhar dos jornalistas que temos, que nada mais são do que papagaios da imprensa do RJ e SP. Reportam apenas um lado da história e não abrem qualquer espaço para o contraponto. Publicam a entrevista de Zelaya, mas não fazem menção à entrevista de Micheletti à FOXNEWS*. Sem qualquer compromisso com a verdade, jogam a segundo plano a realidade em troca de sua doentia determinação militante em promover a ascensão do socialismo. Não consegue enxergar nada além de seus ideais adolescentes universitários, apenas repetindo como papagaios as palavras de ordem da UNE, da CUT, do PT e do Foro de São Paulo.
Os gaúchos, mais do que qualquer outro povo deste país, deveriam saber que a liberdade é algo que não tem preço. Deveríamos estar ao lado de Honduras, ao lado deste pequeno país, que mostra ao mundo que é possível resistir aos mandamentos de Hugo Chávez, Fidel e Lula. Um país que não se dobra às pretensões da criminosa ONU e da OEA, estes dois organismos que querem apenas esmagar as nações democráticas para que possam impor o seu governo mundial, que não respeita a liberdade individual das pessoas, e por extensão, a liberdade das nações. Nós aqui dos pagos do Rio Grande, deveríamos sim, dar o apoio incondicional à Micheletti e a Honduras, e não nos deixar levar pela retórica da esquerda mundial, que hoje domina as redações dos jornais, as universidades e os organismos internacionais. É um pequeno Davi contra o gigante Golias. Que sirvam as suas façanhas de modelo à toda terra!
* A imprensa brasileira obtém suas informações internacionais basicamente do jornal The New York Times e da rede CNN. Nos EUA, ambos passam por uma crise sem precedentes pela falta de leitores e telespectadores. Em contrapartida, a FOXNEWS é sucessivamente a emissora jornalística de TV a cabo mais assistida dos EUA, sendo que o programa TheReilly Factor, por diversas vezes bate a audiência não só da CNN e MSNBC, como também da poderosa rede de entretenimento capitaneada pela Disney.

Nenhum comentário:

Postar um comentário