terça-feira, 6 de outubro de 2009

O Abismo de Helm

Quem assistiu ao filme "O Senhor dos Anéis", ou leu o livro homônimo, deve lembrar deste episódio ocorrido no segundo volume, "As Duas Torres". Durante este evento, o reino de Rohan, ameaçado pelas forças do paladino negro Sauron, se vê completamente impotente para resistir à ameaça de terror e escravidão que se abate sobre o povo. Em virtude disto, o rei envia seu povo à fortaleza do Abismo de Helm, onde tentará, de todas as maneiras, resistir à investida do inimigo. Cercado por todos os lados e atacado impiedosamente, ele resiste. Uma fortaleza de liberdade inserida no meio do caos, do terror e da tirania. E eles mantiveram a posição, firmes.
Por ironia do destino parece que a ficção ganhou a realidade, e temos hoje um Abismo de Helm. Ele se localiza na América Central, e atende pelo nome de Honduras. Diante da pressão do Foro de São Paulo, entidade que pintou de vermelho a Venezuela, Nicarágua, Bolívia, Equador, Paraguai, Argentina, Brasil e Chile. E não é que aquele país pequenino, sem maiores expressões, diz não à Lula, Chávez e Fidel? Que ousadia! Um pequeno paraíso no meio da América que não se dobra diante da pressão de entidades criminosas e comunistas como a ONU e a OEA. Um país de um povo que mostra ao mundo o significado da palavra Independência. Que cumpre o que sua lei determina, mesmo que os intelectuais vermelhos torçam o nariz.
Na entrevista de Micheletti, reproduzida aqui mesmo neste blog, ele afirma que Honduras é um país de belos lugares e de pessoas tranquilas. É mais do que isto. É um país de fibra, de coragem, de um povo que prima pela sua lei, pela sua liberdade. Uma nação que mostra ao mundo como se deve agir contra a sede de poder da esquerda, coisa que nem os militares brasileiros ousam fazer.
Enquanto isto, segue a campanha mundial para fazer Zelaya voltar ao poder. O tempo está passando, e os verdadeiros golpistas sabem isto. Mas em 29 de novembro o povo hondurenho irá às urnas eleger seu novo presidente, conforme manda a sua constituição. Por mais que o Willian  Bonner chame o governo de Micheletti de golpista, ele sabe que o verdadeiro arquiteto de golpes é Manuel Zelaya e seus amigos Latino Americanos. Não haverá mais como esconder esta verdade, por mais que a imprensa brasileira queira. E por mais que o mundo diga que houve um golpe em Honduras, este povo resistirá. Nem sempre (ou melhor, quase nunca) a maioria tem razão, e este é o caso agora. Os países do globo estão errados ao qualificar de golpe o que aconteceu naquele país da América Central.
Honduras é o Abismo de Helm. Cercada por inimigos que querem destruí-la, ela resiste, esperando as suas eleições que, tal qual Gandalf, certamente irão salvá-la da tremenda injustiça da qual este país é vítima, fruto da ignorância e da sede de poder das esquerdas.

* acessem o site http://www.heitordepaola.com/. Lá vocês encontrarão a fonte de maior credibilidade sobre o que acontece em Honduras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário