segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Vergonha de ser brasileiro

O Brasil diz ser um país democrático, que defende os direitos humanos e tal e coisa. Diz que defende a autodeterminação dos povos, e seu atual presidente se transfigurou de embaixador do diálogo, da paz, como querendo ser um grande líder. Na verdade, não passa de um manipulador maquiavélico, que não consegue esconder em suas atitudes a verdadeira face. O queridinho da imprensa, junto com toda a esquerda nacional está cada vez mais colocando suas garras de fora.
Pois o apedeuta-mor resolveu dizer que não reconhece o governo eleito democraticamente pelo povo hondurenho. Diz ele, e nossos jornais, que Zelaya foi vítima de um golpe militar, um golpe de Estado, que o governo de Micheletti é golpista, etc. Estranho um governo golpista admitir manifestações pró zelaya, manter as instituições legislativas e judiciárias abertas, e levar o seu país de uma maneira que nós, brasileiros, não conseguimos entender: pelo fiel cumprimento da lei.
Tudo o que aconteceu e acontece em Honduras segue estritamente o que é previsto em sua Constituição. Nem para mais, nem para menos. Não cabe a Lula, ONU, OEA, Marco Aurélio Garcia, Obama, Fidel ou Chávez, ou qualquer um que seja, intrometer-se nos assuntos internos hondurenhos. Parece que o Foro de São Paulo está furioso com a ousadia do povo hondurenho em preservar sua liberdade e resistir à sua investida. Embora comemorando o sucesso dos vermelhos no Uruguai, estão incomodados com a pedra no sapato que se transformou o pequeno país caribenho.
Não foi suficiente a cobertura mentirosa e tendenciosa de nossa imprensa, que sequer ouviu Micheletti como fez a FoxNews, entrevista esta que traduzi e publiquei aqui. Para a Globo e cia, era tudo um golpe, e não era.
Enquanto isto, nosso presidente Lula se embriaga de felicidade diante da eleição do ex-guerrilhiro Mujica no Uruguai. Fica feliz em poder abrigar um companheiro de causa, que assassinou quatro pessoas na Itália. Fica em verdadeiro êxtase ao receber o tirano do Irã, que mata milhares de homossexuais e cristãos. E através dele, o Brasil acaba sendo aliado dos verdadeiros golpistas e terroristas.
Nossa imprensa, ao invés de informar, deturpa sistematicamente os fatos, levando-nos a acreditarmos que há um golpe em Honduras, que Battisti é um pobre refugiado e que Ahmadinejad é apenas um pougo "egocêntrico demais". Escondem a verdade, porque são cúmplices morais e intelectuais de todas as mazelas pelas quais estamos passando.
Como posso então ter orgulho de ser brasileiro? Não tem como, se mesmo nossos atletas de ponta precisam treinar fora do país para terem algum reconhecimento! Não... teria orgulho mesmo se fosse hondurenho. Aí sim seria magnífico estufar o peito e dizer que vivo em um país livre, qua não se curva aos desmandos da "comunidade internacional". Este pequeno país está dando uma lição de liberdade e de democracia. Uma verdadeira demosntração de legalidade. Para desespero geral de nossos jornalistas, universitários, professores e políticos.

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Um golpe no Aquecimento Global

Imagine que você é um devotado revolucionário, seguidor ferrenho de Marx e da ideolgia de Guevara, Fidel e Mao. Imagine que, mesmo depois de todas as crueldades cometidas pelos governos socialistas ao redor do mundo, ainda acha que este é o melhor sistema de governo para um país. Afinal, você odeia os burgueses, estes malditos capitalistas que desenvolveram o mundo. Bando de safados! Mas como é que você vai lutar para enfraquecer a sociedade ocidental e o capitalismo? Tudo bem, você domina os meios de comuinicação, as universidades, o meio artístico e a esmagadora maioria do debate político. Mas isto não impede o desenvolvimento industrial dos "porcos capitalistas", que insistem em melhorar a vida de milhões de seres humanos. Que dilema, o que fazer? Eureka!!!!! Vamos inventar uma causa para o aquecimento global!!
Antes de prosseguir, quero deixar claro a minha posição completamente favorável à salvação do meio ambiente. Quero deixar claro que precisamos preservar o planeta. Agora, colocar a culpa na atividade humana pelo aquecimento global não me parece a coisa mais inteligente a se fazer.
Pare e pense. O planeta tem bilhões de anos, e já se esfriou e esquentou milhares de vezes. Ora, como é que as pessoas querem que o clima permaneça o mesmo, sempre? Não percebem que o planeta é dinâmico, que ora esquenta, ora esfria-se? E isto é completamente natural, ou não? Porque colocar a culpa nos seres humanos? Ora, para frear a produção industrial e enfraquecer os países ricos, para que se tornem pobres! Igualzinho ao que ocorre no Brasil. Lula não deixou os pobres mais ricos, mas está empobrecendo estes últimos...é a igualdade social.
A mídia, que deveria ser a fonte de informação é, na verdade, uma fonte de desinformação. Exemplo pode ser dado quando, a cerca de dois anos atrás, o Fantástico exibiu uma reportagem sobre um filme que abordava uma teoria contrária ao aquecimento global. Só que a fizeram de maneira caricata, com o claro propósito de desmoralizar aqueles que acham que o ser humano não é responsável pelo aquecimento. Pura manipulação retórica, nada mais.
E não é que o aquecimento não é assim tão forte. Ao ler o mídia sem máscara, um artigo do Bruno Pontes revelou algo no mínimo suspeito. Um hacker entrou nos computadores da Universidade de East Anglia, e coletou 61MB de e-mails, planilhas, PDF, e outros documentos que demonstram uma verdadeira conspiração para exagerar dados sobre o aquecimento global. Como não poderia deixar de ser, nossa imprensa não noticiou uma linha sequer sobre esta verdadeira notícia-bomba. Porque será hein??
A temperatura do planeta está relacionada ao PDO (oscilação decadal do pacífico), segundo as últimas pesquisas, pois a temperatura do Oceano Pacífico tem influência em toda a temperatura do globo. Entre 1920 e 1941, o pacífico se aqueceu (certamente devido às milhares de fábricas espalhadas pelo mundo), mas entre 1960 e 1981 ele esfriou (parece que jogaram toneladas de gelo nele). Ou seja, nada mais do que um cliclo natural da natureza (desculpe-me pela redundância).
São muitos os fatores que influenciam o clima do planeta. Vento solares, inclinação do eixo terrestre, campo eletromagnético (que inverte sua polaridade a cada 300 anos), enfim, uma série de elementos que não podem ser ignorados para favorecer a hipótese falha de responsabilidade humana pela mudança climática. Com humanos ou sem humanos, o clima já mudou, está mudando, e continuará mudando, seja para aquecer, seja para esfriar. Culpar a emissão de carbono da atividade humana como responsável pelo aumento da temperatura planetária só tem um propósito: acabar com a produção industrial e aglutinar os países em prol de uma causa comum, dando cada vez mais legitimidade à formação de um governo mundial. Que irão dizer quando o planeta começar a resfriar-se???

Enquanto isso, em Honduras...


quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Asilo para os criminosos!

O Brasil é um verdadeiro refúgio de bandidos. Primeiro, foi o falso padre Olivério Medina, agente das FARC, que recebeu asilo político depois de intensa pressão e articulação política do PT. Mais para frente foi a vez de Manuel Zelaya, o golpista de Honduras, refugiar-se na embaixada brasileira, hospedado às custas do dinheiro de nossos impostos. Agora, para finalizar, é chegada a vez de Cesare Battisti. Isto só para citar os mais recentes, solenemente ignorados pela imprensa.
Este elemento matou 4 pessoas na Itália, sendo que uma de suas vítimas foi atingida pelas costas. Como militante de esquerda, lutou contra o regime italiano daquela forma que os esquerdistas mais gostam: terror, morte e sangue. Hoje ele é rejeitado até mesmo pelos copartidários de seu país. Deve ser uma santa pessoa, aliás como são todos aqueles que cercam nosso presidente. Uma assaltante, Dilma. Um terrorista, José Dirceu, e outros tantos criminosos que, nos tempos da "ditadura" (que de tão branda permitiu que eles voltassem!!) mataram e sequestratam inocentes em prol da causa. Interessante esta moral da esquerda! Para derrubar um governo, lançam carros bombas, sequestram, assassinam, torturam e jogam bombas em aeroportos, matando e ferindo dezenas de inocentes. E sabe o que aconteceu com estes criminosos? Alguns ganharam milhões de reais da Lei da Anistia em indenizações e pensões vitalícias e outros ocupam cargos da maior importância dentro do governo federal. Desta maneira, percebe-se o valor que estas pessoas doentes dão à vida: se é a vida de um "companhero" ela é a coisa mais importante do mundo. Se é a vida de um cidadão que deu o azar de estar passando onde eles lançaram um carro-bomba... bem, esta vida não vale nada, pois "estávamos lutando contra a ditadura".
É precisamente por este motivo que o presidente Lula não irá enviar o italiano a seu país para ser julgado. É que lá não houve lei da anistia. Lá as pessoas que matam, que torturam, que sequestram e roubam não recebem indenizações do governo. Elas vão para a cadeia. E o moluscão não iria deixar um companheiro de esquerda na mão. Afinal, pela moral de Lula, que já se comparou mesmo ao Cristo quando se autoproclamou isento de pecado, o que são quatro assassinatos em defesa da causa, de um mundo melhor??

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Imposição Homossexual


O PLC 122, que já menicionei aqui, é o coroamento final da ditadura gay que se impõe em todos os setores de nossa sociedade. Longe de mim querer que os homossexuais sejam excluídos da sociedade, isto jamais. O que está errado é o fato de que a opinião individual, a sagrada liberdade de expressão, está pouco a pouco sendo banida de nossos meios de comunicações, e agora do nosso próprio convívio social.
A conduta homossexual, é antinatural, disto não há dúvida. Não é algo normal. Qualquer que seja a sua causa, ela é uma exceção à regra. Ser contrário à prática homossexual, bem como ao acesso de supostos direitos, como o de adotar crianças, não é preconceito, mas uma simples opinião, e como tal deve ser tratada.
Como se não fosse suficiente a influência do gay way of life em nossa cultura, a liberalização total das passeatas gays, onde crianças são apresentadas a algo anormal como sendo natural, agora mais um passo é dado rumo à "gayzação" total da nossa civilização. Senhoras e senhores. Estamos prestes a perder o direito de... não sermos gays! Pasmem.
O Conselho Federal de Psicologia (que não passa de mais um entidade criada para sugar dinheiro dos psicólogos e nada fazer pelo bem desta profissão), no uso de suas atribuições proibiu a psicóloga Rozangela Justino, de exercer a sua profissão caso ela queira tratar pessoas que são homossexuais, mas que não desejam mais sê-lo. Percebam a gravidade da situação! E ainda temos pessoas que dizem que os gays são vítimas inocentes da inquisição homofóbica brasileira! Ora, se existem mesmo profissões que são quase que exclusivamente gays! Se existem personagens de todos os matizes que, justamente por serem gays, causam simpatia à população! Não me venham com este papo que ser contrário ao ideal gay é ser preconceituoso, porque não é. É pura e simplesmente questão de opinião. E esta suposta perseguição aos gays é questão de caráter mundial.
A coisa é tal que a miss Califórnia 2008, srta Prejean, foi escurraçada pela mídia local por ter dito que, na sua opinião, o casamento deva ocorrer entre um homem e uma mulher! Vejam o poder que os homossexuais têm, a ponto de transformarem uma declaração óbvia em um insulto preconceituoso.
Voltando o caso da psicóloga, esta ajudava homossexuais que se sentiam incomodados com sua situação a vencer este distúrbio. Ninguém era obrigado a ir à sua clínica. Simplesmente ela oferecia tatamento psicológico àqueles que a procuravam. E agora está impedida. Ou seja: digamos que você, ou eu, sejamos gays e estamos incomodados com a nossa condição, não queremos aceitá-la. Procuramos, pois, ajuda profissional, dentre as quais, a psicologia. Pois agora, você, eu, ou qualquer outra pessoa que queira deixar de ser gay está proibido de fazê-lo!!! Teremos que lutar sozinho, vivendo toda a sorte de frustrações, pois o Conselho Federal de Psicologia e os gayzista decidiram unitlateralmente que, uma vez que se sai do armário, ele é trancado e a chave, jogada fora.
Esta é a verdadeira face dos grupos dos direitos dos homossexuais. Eles não querem direitos iguais, querem proteção acima da lei, acima do julgamento moral ou religioso. Qualquer opinião contrária a sua é imediatamente taxada como sendo homofóbica. E agora impedem as pessoas que entram em seu mundo de sair. Um verdadeiro muro de berlim nas cores do arco-íris.

domingo, 15 de novembro de 2009

O poder gayzista

A imposição do gayzismo ganha cada vez mais força em nossa sociedade. Ao ler reportagem do G1 sobre a proibição de crianças e adolescentes em participar da parada gay da cidade de Duque de Caxias, uma fagulha de esperança começou a surgir, de que  não está tudo perdido. Contudo, do a reportagem do G1, mostra a indignação  do Conselho Estadual de Defesa da Criança e do Adolescente, que repudiou a decisão do juiz federal, demonstra a força que os grupos homossexuais tem dentro da república. Um juiz, que na sua decisão buscou proteger nossas crianças de tal passeata foi criticado por aqueles que deveriam protege-las, mas que paradoxalmente apoiam a presença de menores na hedionda caminhada.
Nesta mesma reportagem, surge um cartaz os gayzistas onde se lê : "Eu tenho direito de ser gay e cristão". Quanto ao primeiro, não há dúvida de que se trata de uma decisão pessoal. Quanto ao segundo, são inúmeras as controvérsias. Ser cristão e ser gay é como ser judeu e nazista. É como ser gremista e colorado ao mesmo tempo, pois uma premissa invalida a outra.
De acordo com o  superintendente da Secretaria estadual de Desevolvimento Social e Direitos Humanos, Cláudio Nascimento, que disse estar representando o governador do estado Sérgio Cabral, nennhuma autoridade policial - PM ou bombeiro - irá interferir na participação de menores de idade no desfile.

"Como ocorre tradicionalmente em outras paradas gays, os menores de 18 anos não poderão desfilar nos trios por uma medida de segurança. Mas não há nada que os impeça de desfilar ou assistir a parada. É saudável e educativo ter contato com a diversidade".
Saudável e educativo? Ora seu  Cláudio, você deve estar achando que temos estrume no lugar do cérebro! Como pode ser saudável e educativo para uma criança presenciar uma manifestação flagrantemente antinatural? Até o assassinato é mais natural que o homossexualismo, tendo em vista que este ocorre no mundo animal com muito mais frequencia que aquele. Não há como engolir esta ideia de que ser gay é algo "completamente normal" porque não o é!
Deus, na sua sabedoria, e nosso Senhor Jesus Cristo dizem na bíblia que o homossexualismo é prática condenável. E ponto final! Se não o fosse, haveria apenas um sexo, e não dois. Se a escolha em ser ou não homossexual é genética, ambiental ou biológica, não deixa de ser uma aberração, uma situação que afronta completamente a naturalidade do mundo por motivos óbvios. Todos os casos de homossexualismo que surgem nas espécimes animais decorrem por dois motivos: falta de integrantes do sexo oposto ou demonstração de submissão, e ponto final. Não há qualquer registro no mundo animal de homossexuais criando sua prole!
Observem que, no caso de Duque de Caxias, nem o prefeito e nem mesmo um juiz tem autoridade suficiente para impedir o patrolamento gayzista. Serão sempre voto vencido. Não interessa se estes grupos contam com a maioria do repúdio popular, como de fato é verdade. Foda-se os costumes e a religiosidade da população, e viva a liberdade sexual. Dentro em breve, mesmo a pedofilia deixará de ser crime, afinal a maioria dos homossexuais é pedófilo, como pode ser comprovado desde a antiguidade clássica.
O cristianismo, o islamismo e ojudaísmo são claros no repúdio ao homossexualismo. Infelizmente, nos nossos dias, esta conduta é santificada a tal ponto que sequer pode ser criticada, bem ao contrário do que acontece com os seguidores da Bíblia, estereotipados e ridicularizados nas novelas das oito.

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Eternos Adolescentes


A ideologia da esquerda, especialmente aquela que reina em nosso país, não passa de uma verdadeira governanta. De acordo com seus objetivos, ela reina soberana nos meios de comunicação, nas escolas e na intelectualidade brasileira. Transforma-nos em eternos adolescentes, sempre rebeldes, mas nunca responsáveis pelos seus atos, porque o Estado está lá para tomar as decisões que caberiam, a uma pessoa adulta. Desta maneira, nosso senso de responsabilidade é extremamente desvirtuado, e nossa consciência individual é destruída a tal ponto que não passamos de crianças sob a batuta de nosso "papai governo".
Vejamos alguns exemplos: A lei de combate ao fumo. Nesta verdadeira aberração aos direitos individuais, o estado proíbe o fumo em locais públicos, mesmo que sob administração privada. Ou seja, não temos a opção de evitarmos estes lugares. Nosso governo já tomou uma decisão por nós, que deveria ser estritamente pessoal, qual seja a de escolher entre ir a um restaurante com fumantes, ou a não ir. Podemos citar, também, a obrigatoriedade do uso do cinto de segurança. Novamente, esta é uma escolha individual. Aquele que não o utiliza tem chance maior de vir a falecer em um acidente de carro, é verdade. Mas a escolha em usá-lo deve ser do cidadão, e não uma imposição estatal. Afinal, caso ele não o utilize e venha a falecer, o único prejudicado é ele próprio. Nada mais justo que arcar com suas responsabilidades. Da mesma maneira, poderíamos colocar a educação de nossas crianças. Desde os tempos mais remotos, ela é dada primeiramente pelos pais, que optam por colocarem seus filhos na rede pública ou privada de ensino. Arcam com a responsabilidade de entregarem seus descendentes às escolas de um país. Deveriam ter a mesma responsabilidade e liberdade em educá-los em casa, caso os pais não concordem com os absurdos que estão sendo ensinados nessas instituições, como a educação sexual e social, por exemplo.
O poder de decisão sobre nossas escolhas, efetivamente, não pertence a nós, mas aos governantes e suas ideologias políticas. Sob o manto da "consciência social" e o argumento de "acabar com a discriminação", a cada dia que passa nos é retirada a possibilidade de decidirmos o que queremos fazer com nossas vidas. Tudo é programado. Não há aprendizado, pois quando não erramos, não extraímos qualquer tipo de lição. Se o cara quer transar, o governo da camisinha. Se engravidar, o governo quer dar o aborto. Se tiver o filho, o governo da o bolsa-família. Nada, absolutamente nada é controlado pelo cidadão. Nossas vidas não passam de simples instrumentos nos quais o estado deposita seus tentáculos. Vivemos em uma verdadeira Matrix, uma realidade virtual, onde pensamos que temos domínio sob nossas vidas por estarmos esbaldados nas benesses governamentais.
Enquanto isto, de maneira rápida e eficiente, os tentáculos revolucionários vão tomando conta de nossas instituições, tornando-as verdadeiros zumbis a serviço do grande Big Brother que a tudo e a todos vê. É preciso acordamos para esta realidade. Precisamos sair desta verdadeira puberdade intelectual e encararmos nossas responsabilidades como adultos, e não como crianças doutrinadas pelo paternalismo estatal. Pensar a respeito, já é um primeiro passo.

DEMOCRACIA ADITREVNI.

Edmund Burke, em seu livro "Reflexões Sobre a Revolução em França", não considera a democracia como sendo o melhor sistema de governo que exista. Ele a classifica como apenas mais uma maneira de se governar um país. Não há provas suficientes para que possamos imaginar que a maioria está sempre com a razão, mesmo porque esta maioria é um corpo artificial, anônimo, sem face. Não podemos identificar a maioria. Fica fácil, desta maneira, utilizar o nome deste ser ilusório para impor a vontade de um grupo resistro sobre a vontade da população. E é exatamente isto o que está ocorrendo
Grupos minoritários estão tomando o poder decisório de tal forma que seus costumes estão se impondo sobre o todo. Exemplos não nos faltam. Os homossexuais querem impor á população, pelo PLC 122 a canonização de suas atitudes, tão santas que não podem sequer serem criticadas. Ou seja, se você acha a conduta homosexxual errada, antinatural, ou mesmo doentia, está automaticamente incorrendo no crime de homofobia. Pela sua opinião, você é automaticamente nivelado com os nazistas, facistas, e genocidas.Se ensinar a seus filhos que um casal gay é algo contrário à sua religião, ou mesmo à ordem natural das coisas, pronto, você corre o risco de ir à cadeia!
Fato semelhante ocorre com outras ditas "minorias". Mesmo os pobres e os negros não podem ter tratamento especial por serem miseráveis ou afrodescentes. Tem que tê-los por serem cidadãos e, como tal, devem ser respeitados. Não é porque eu chamo um negro alto de "negão" que eu esteja sendo racista. E se um negro chama outro negro de "negão", vai incorrer em crime? E se alguém chama um branco de "brancão, alemão" não deveria este ser preso por racismo? O que a lei anti racismo faz nada mais é do que aumentar ainda mais o preconceito contra estas pessoas. Aliás, estas são as palavras mágicas da nova ordem mundial: preconceito e discriminação. Basta falarmos que estamos sendo vítimas de uma ou de outra para, de imediato, passarmos a ter um poder tal capaz de mudar leis e costumes, mesmo contrários aos costumes e leis arraigadas ao longo dos anos. É como se rotulássemos os negros e os pobres como incompetentes, incapazes por natureza. Isto não seria a forma mais clara e absurda de preconceito? Eu acredito que os negros do nosso país têm plena capacidade de alcançar os postos mais elevados em qualquer setor de nossa sociedade, não pelo fato de serem negros, mas pelo fato de serem seres humanos, dotados de inteligência, como eu e os outros 6 bilhões de habitantes do planeta. Da mesma forma, os pobres também as possuem.
No campo, a situação repete-se. Um bando de desocupados, invade a terra de pessoas que são suas proprietárias legítimas e fica tudo por isto mesmo. E a posse destas terras? E o dinheiro suado que estas pessoas, ou seus antepassados,  tiveram que gastar para adquirir aquele pedaço de chão, isto não conta? Com que direito um bando de criminosos invade uma fazenda, rasga ordens judiciais de desocupações e muitas vezes consegue a desapropriação dos "latifúndios improdutivos"? Porque eles têm tamanho poder?
A cerne das questão é que estamos sendo governados pelo pensamento de uma minoria. Esta, impõe seu pensamento com tamanha facilidade que chega assustar. Não há qualquer análise sobre suas reivindicações, e quando são feitas pesquisas de opinião, que repetidamente demonstram que o brasileiro é contra tudo isto, os amantes da democracia logo apressam-se ou a manipular dados ou a tentar mudar o pensamento de toda a população.
Assim, a vontade da maioria é sistematicamente ignorada em prol das exigências das minorias. Criam-se nichos privilegiados dentro do corpo da sociedade, que passam a gozar de verdadeira imunidade juridica e moral, como se fossem deuses andando sobre a Terra. Em nome de uma suposta democracia, nos ajoelhamos cada vez mais a eles. Será que isto é realmente uma boa forma de governo?


domingo, 8 de novembro de 2009

Terras para os Índios

Existem diversos motivos para que seja defendida a demarcação das terras indígenas de maneira contínua. Aqueles que pensam que houve um estudo antropológico sobre a real necessidade dos indígenas em terem a vasta quantidade de terras que agora possuem, estão redondamente enganados. Os únicos especialistas que colocaram os pés aqui na reserva Raposa - Serra do Sol foram os experts em propaganda e manipulação intelectual. Os antropólogos e estudiosos que assinaram os relatórios sobre o tema o fizeram no confortável aconchego de seus lares citadinos, sem jamais terem sequer sobrevoado a área que julgam necessária para a sobrevivência das populações indígenas.


Ao adentrarmos na região da reserva, o que se vê são dezenas de quilômetros de... vazio. Para alguém desavisado, olhar para a área poderia remetê-lo aos pampas gaúchos, ou ao cerrado centro-brasileiro. Não há floresta, não há animais a serem caçados, mas uma vasta área de vegetação cerrada, uma savana. Enganam aqueles que pensam que esta é uma região de floresta só por se encontrar na região da Amazônia Legal. As áreas de matas, somente surgem aos pés das serras que se erguem formando um planalto que se estende para além das fronteiras nacionais. Acreditem. Índio nenhum necessita destas áreas para sobreviver.

Porque então a luta pela demarcação desta vasta área territorial? Porque expulsaram os produtores de arroz que ocupavam menos de 10% da área da reserva?

O Brasil é um país governado por integrantes da esquerda política mundial. Nenhum, repito, nenhum partido brasileiro atualmente pode reivindicar para si a alcunha de ser “de direita”, liberal ou conservador. Ademais, orgulhamo-nos de sermos cada vez mais influente na mais nefasta entidade internacional a ONU, que dentre seus preceitos determina que os membros devam demarcar terras contínuas aos povos indígenas “para, em caso de um desejo de independência, estes povos já estejam com o seu território garantido”. Não me atenho sequer ao fato de que a região seja uma grande reserva de minerais preciosos, como diamantes, ouro, urânio, nióbio, dentre outros, pois isto requer outro post.

Para aquelas pessoas que duvidam de tal fato, basta verificar o que ocorre no país vizinho, a Venezuela. Lá existe a reserva indígena de São Marcos, demarcada em forma de terra contínua que... nada mais é do que a continuação da terra indígena São Marcos que fica no Brasil. Uma vasta área territorial, demarcada de forma contínua abrangendo dois países, um verdadeiro enclave transnacional. O mesmo ocorre com a “Nação Yanomami”. Perigosamente, temos uma fragmentação do território brasileiro o que acontece, também, nos estados do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

Assim, sob a proteção de argumentos humanitários, o governo revolucionário brasileiro vai pouco a pouco implantando sua estratégia de submissão à ONU. Ou o que vocês acham que fomos fazer no Haiti?

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Controlando Mentes e Corações


Reparem atentamente na figura ao lado. É o cartaz do Partido Nacional Social-Democrata Alemão, que seria conhecido por NAZI, dando início ao movimento nazista. Foi através deste partido político que Hitler dominou mentes e corações alemães, incitou o ódio contra judeus e comunistas. O curioso é que a única coisa que diferencia o nazismo do comunismo é seu caráter essencialmente nacionalista, de intolerância para com outros povos que não o seu próprio, fato mais do que comprovado pelo discurso de Hitler. Seu poder advinha de um sentimento racista e profundamente ufanista. Mas o que mais garantia ao partido a sua hegemonia, era a doutrinação ideológica, feita desde as mais tenras idades na população alemã. Era a fanática Juventude Hitlerista, responsável por difundir o regime e insuflar a população para que apoiassem todas as atrocidades que cometeriam durante o período que estivessem no comando.


Para conseguir doutrinar as crianças, Hitler elaborou um plano bastante inteligente. Desde cedo, 3, 4 anos de idade, os filhos eram separados de seus pais para receberem a educação do Estado, de maneira gratuita. Aparentemente inocente esta estratégia permitiu que os nazistas dominassem a mente dos infantes, arraigando ideais totalitários, destruindo qualquer resquício de autoridade paterna, ou pensamento individual. Era uma verdadeira linha de montagem, onde inocentes eram transformados em ávidos defensores do Estado, não poupando esforços ou sangue para perseguir e destruir todos aqueles que se opunham aos ditames estatais.

Foram eles que possibilitaram a Hitler o grau de apoio popular que teve. Eles doutrinavam seus próprios pais e professores, e mesmo que não conseguissem, de nada adiantaria resistir à lavagem cerebral nazista, pois as futuras gerações já estavam impregnadas de propaganda esquerdista e totalitária. Foi assim que se produziu um governo ditatorial, cruel e extremamente violento, embora muito mais brando do que seus semelhantes russo ou chinês.

Mas porque tocar neste assunto aparentemente fora de nexo? Bem. O Senado Federal aprovou a PEC 96A/03 que, entre outras atrocidades, torna obrigatória a educação de crianças a partir dos 4 anos de idade, mais precisamente, dos 4 aos 17 anos de idade. É um direito se tornando uma obrigação. Sob o argumento sedutor de melhorar a educação no país, nosso Big Brother começa a preparar cada vez mais cedo a versão tupiniquim da "Juventude Hitlerista". Obriga os pais a abrirem mão de educarem seus filhos, pois o estado "camarada" fará isto por eles, como se as escolas brasileiras não passassem de um antro de doutrinação esquerdista.

Por falar em escolas brasileiras, não é difícil de comprovar que nossos alunos são dos piores do mundo em português, redação, matemática, ciências. Em contrapartida, todos sabem colocar a camisinha e a vestir a camisa do Che Guevara! É isto o que nossas crianças recebem: doutrinação esquerdista e liberdade sexual (putaria), ao mesmo tempo em que aprendem a demonizar a religião e todas as formas de pensamento que não seja aquela imposta por seus professores/doutrinadores. A autoridade dos pais está cada vez mais enfraquecida. Os valores de família e religiosidade estão cada vez mais esquecidos, como foram pelos nazistas. Estamos formando cada vez mais gerações de ventríloquos, marionetes a serviço do "politicamente correto"

Convido o leitor a olhar novamente a figura do cartaz nazista. Observem no canto inferior esquerdo os símbolos ali representados: a foice e o martelo, a estrela vermelha, e a inscrição "Social Democrata". Qualquer semelhança não é mera coincidência.

domingo, 1 de novembro de 2009

Diplomacia Ilegal


Ao consentir a hospedagem ao criminoso Manuel Zelaya, sob o argumento de que este é o presidente legítimo de Honduras, e ao declarar que gostaria de vê-lo como presidente daquele país nas próximas eleições, o presidente Lula comete dois erros. O primeiro: hospeda na embaixada brasileira, a custo do meu, do teu, do nosso dinheiro, um cidadão que foi legitimamente impedido de colocar no país centro-americano, a política ditatorial e socialista de Hugo Chávez. Nós, que estamos pagando pela estada do fanfarrão Zelaya na embaixada brasileira, deveríamos exigir que o governo o retirasse de lá. Mas isto não acontecerá, pois nossos amados governantes esquerdistas só têm olhos para a “revolução bolivariana,” não como opositor, mas como sério entusiasta.

O segundo erro que comete o molusco mandatário, creio eu que seja um crime. Ao permitir que Zelaya montasse seu QG dentro de uma instalação diplomática, e ao exigir seu retorno ao poder o Itamaraty, e o governo federal como um todo viola de maneira frontal os incisos III e IV do artigo 4º da Constituição Federal de 1988, que tratam da autodeterminação dos povos e da não-intervenção, respectivamente, além da alínea 7 do artigo 2º da Carta da ONU e artigo 18 da Carta da OEA, ambos tratando do princípio da não-intervenção. Significa que nosso presidente comete um crime constitucional, e que o partidão rasgou a tradição que outrora tinha o corpo diplomático brasileiro, justamente a de honrar estes dois princípios que regem o Direito Internacional.
Mas porque Lula fez o que fez por Zelaya? Qual o interesse que poderia ter em um país tão pobre e pequeno quanto Honduras? A resposta? Medo. Sim, medo. O povo hondurenho, e o pior, suas instituições, resolveram desafiar a autoridade ideológica e política do Foro de São Paulo, personificado pela tríade Fidel-Lula-Chávez. Esta pequena nação ousou resistir à imposição totalitária da esquerda, do socialismo do século XXI. Tornou-se um entrave aos objetivos continentais da esquerda, e seu exemplo poderia ser seguido por outros povos. Como que o Foro de São Paulo poderia deixar que 20 anos de trabalhos clandestinos, obscuros e doutrinários pudessem ser destruídos pela audácia de um povo pobre, mas íntegro e justo. Além do mais, eles agora têm o apoio estratégico do socialista Obama. Estão com a faca e o queijo na mão.
É evidente que a imprensa nacional não analisa os fatos como eles são. Muito pelo contrário! Insiste em dizer que em Honduras houve um golpe de estado, que o governo é ditatorial e blá blá blá. Esquecem de informar que, a luz do Direito Internacional, da ONU e da OEA, questões internas devem ser tratadas internamente. Os que decidiram pela saída de Zelaya do poder foram a Suprema Corte e o Congresso Nacional hondurenho, que são as únicas e legítimas autoridades que podem decidir sobre a matéria. Não cabe à ONU, à OEA ou ao governo brasileiro contrariar ou apoiar a decisão. Cabe a eles respeitarem as decisões tomadas, conforme determinam suas próprias regras e leis aqui já citadas. É tudo questão interna, do país. Ninguém tem o direito de intervir, pois cada nação tem as suas leis, os seus costumes e as suas características próprias.
É nestas horas que fica ainda mais evidente os objetivos de Lula e da ONU. Um quer formar uma união de repúblicas socialistas na América Latina. O Outro quer impor a todos um governo mundial, onde os países e os indivíduos não terão mais poder sequer sobre os seus destinos. Tudo sob o aplauso hipócrita de jornalistas, intelectuais, e "prêmios Nobel da paz."