quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Controlando Mentes e Corações


Reparem atentamente na figura ao lado. É o cartaz do Partido Nacional Social-Democrata Alemão, que seria conhecido por NAZI, dando início ao movimento nazista. Foi através deste partido político que Hitler dominou mentes e corações alemães, incitou o ódio contra judeus e comunistas. O curioso é que a única coisa que diferencia o nazismo do comunismo é seu caráter essencialmente nacionalista, de intolerância para com outros povos que não o seu próprio, fato mais do que comprovado pelo discurso de Hitler. Seu poder advinha de um sentimento racista e profundamente ufanista. Mas o que mais garantia ao partido a sua hegemonia, era a doutrinação ideológica, feita desde as mais tenras idades na população alemã. Era a fanática Juventude Hitlerista, responsável por difundir o regime e insuflar a população para que apoiassem todas as atrocidades que cometeriam durante o período que estivessem no comando.


Para conseguir doutrinar as crianças, Hitler elaborou um plano bastante inteligente. Desde cedo, 3, 4 anos de idade, os filhos eram separados de seus pais para receberem a educação do Estado, de maneira gratuita. Aparentemente inocente esta estratégia permitiu que os nazistas dominassem a mente dos infantes, arraigando ideais totalitários, destruindo qualquer resquício de autoridade paterna, ou pensamento individual. Era uma verdadeira linha de montagem, onde inocentes eram transformados em ávidos defensores do Estado, não poupando esforços ou sangue para perseguir e destruir todos aqueles que se opunham aos ditames estatais.

Foram eles que possibilitaram a Hitler o grau de apoio popular que teve. Eles doutrinavam seus próprios pais e professores, e mesmo que não conseguissem, de nada adiantaria resistir à lavagem cerebral nazista, pois as futuras gerações já estavam impregnadas de propaganda esquerdista e totalitária. Foi assim que se produziu um governo ditatorial, cruel e extremamente violento, embora muito mais brando do que seus semelhantes russo ou chinês.

Mas porque tocar neste assunto aparentemente fora de nexo? Bem. O Senado Federal aprovou a PEC 96A/03 que, entre outras atrocidades, torna obrigatória a educação de crianças a partir dos 4 anos de idade, mais precisamente, dos 4 aos 17 anos de idade. É um direito se tornando uma obrigação. Sob o argumento sedutor de melhorar a educação no país, nosso Big Brother começa a preparar cada vez mais cedo a versão tupiniquim da "Juventude Hitlerista". Obriga os pais a abrirem mão de educarem seus filhos, pois o estado "camarada" fará isto por eles, como se as escolas brasileiras não passassem de um antro de doutrinação esquerdista.

Por falar em escolas brasileiras, não é difícil de comprovar que nossos alunos são dos piores do mundo em português, redação, matemática, ciências. Em contrapartida, todos sabem colocar a camisinha e a vestir a camisa do Che Guevara! É isto o que nossas crianças recebem: doutrinação esquerdista e liberdade sexual (putaria), ao mesmo tempo em que aprendem a demonizar a religião e todas as formas de pensamento que não seja aquela imposta por seus professores/doutrinadores. A autoridade dos pais está cada vez mais enfraquecida. Os valores de família e religiosidade estão cada vez mais esquecidos, como foram pelos nazistas. Estamos formando cada vez mais gerações de ventríloquos, marionetes a serviço do "politicamente correto"

Convido o leitor a olhar novamente a figura do cartaz nazista. Observem no canto inferior esquerdo os símbolos ali representados: a foice e o martelo, a estrela vermelha, e a inscrição "Social Democrata". Qualquer semelhança não é mera coincidência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário