domingo, 8 de novembro de 2009

Terras para os Índios

Existem diversos motivos para que seja defendida a demarcação das terras indígenas de maneira contínua. Aqueles que pensam que houve um estudo antropológico sobre a real necessidade dos indígenas em terem a vasta quantidade de terras que agora possuem, estão redondamente enganados. Os únicos especialistas que colocaram os pés aqui na reserva Raposa - Serra do Sol foram os experts em propaganda e manipulação intelectual. Os antropólogos e estudiosos que assinaram os relatórios sobre o tema o fizeram no confortável aconchego de seus lares citadinos, sem jamais terem sequer sobrevoado a área que julgam necessária para a sobrevivência das populações indígenas.


Ao adentrarmos na região da reserva, o que se vê são dezenas de quilômetros de... vazio. Para alguém desavisado, olhar para a área poderia remetê-lo aos pampas gaúchos, ou ao cerrado centro-brasileiro. Não há floresta, não há animais a serem caçados, mas uma vasta área de vegetação cerrada, uma savana. Enganam aqueles que pensam que esta é uma região de floresta só por se encontrar na região da Amazônia Legal. As áreas de matas, somente surgem aos pés das serras que se erguem formando um planalto que se estende para além das fronteiras nacionais. Acreditem. Índio nenhum necessita destas áreas para sobreviver.

Porque então a luta pela demarcação desta vasta área territorial? Porque expulsaram os produtores de arroz que ocupavam menos de 10% da área da reserva?

O Brasil é um país governado por integrantes da esquerda política mundial. Nenhum, repito, nenhum partido brasileiro atualmente pode reivindicar para si a alcunha de ser “de direita”, liberal ou conservador. Ademais, orgulhamo-nos de sermos cada vez mais influente na mais nefasta entidade internacional a ONU, que dentre seus preceitos determina que os membros devam demarcar terras contínuas aos povos indígenas “para, em caso de um desejo de independência, estes povos já estejam com o seu território garantido”. Não me atenho sequer ao fato de que a região seja uma grande reserva de minerais preciosos, como diamantes, ouro, urânio, nióbio, dentre outros, pois isto requer outro post.

Para aquelas pessoas que duvidam de tal fato, basta verificar o que ocorre no país vizinho, a Venezuela. Lá existe a reserva indígena de São Marcos, demarcada em forma de terra contínua que... nada mais é do que a continuação da terra indígena São Marcos que fica no Brasil. Uma vasta área territorial, demarcada de forma contínua abrangendo dois países, um verdadeiro enclave transnacional. O mesmo ocorre com a “Nação Yanomami”. Perigosamente, temos uma fragmentação do território brasileiro o que acontece, também, nos estados do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

Assim, sob a proteção de argumentos humanitários, o governo revolucionário brasileiro vai pouco a pouco implantando sua estratégia de submissão à ONU. Ou o que vocês acham que fomos fazer no Haiti?

Um comentário:

  1. Essa demarcação de áreas nas fronteiras parece feita sob medida para facilitar as operações da narcoguerrilha esquerdista. Falam que o "riquinho" que cheira pó aperta o gatilho do fuzil do traficante mas fazem de tudo para a droga chegar...

    ResponderExcluir