quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Rapidinhas da semana.

1. O presidente Lula afirmou, em um jantar patrocinado por empresários, que a carga tributária do país não pode cair porque os impostos são necessários para se ter um Estado forte. Ao mesmo tempo, exigiu esforços do empresariado para diminuírem o preço de suas mercadorias para que possam competir com o mercado externo.

Só se os empresários contratarem como consultor o Cris Angel e o David Coperfield para diminuir preços sem diminuição da cobrança tributária. No Brasil é assim. Ao invés de se diminuírem os gastos do governo, aumentam-se impostos.

2. A conferência sobre o clima em Copenhagen acabou em pizza. Os países ricos não cederam, especialmente os EUA, o que contribuiu para o fracasso da convenção. Milhares de manifestantes de ONGs ambientalistas ficaram frustrados com o resultado, e a comunidade científica cada vez mais alerta para as conseqüências do aquecimento global causado pelo homem.

E na semana que acabou a tal Cop 15, a Alemanha registrou a menor temperatura da história, nevascas intensas bateram recordes na América do Norte, e em toda a Europa, incluindo o sul europeu, tradicionalmente de clima mais ameno. Ah, mas já sei a resposta: “este frio incomum é mais uma prova das mudanças climáticas causadas pelo homem.” Afinal, parece que agora a população gostaria de que o aquecimento global fosse tão terrível quanto falam.

3. O caso do menino Sean que está sendo devolvido a seu pai tem causado bastante comoção nacional, e vem sendo veiculado diuturnamente na mídia. A avó da criança chegou a mandar uma carta ao presidente Lula pedindo para reconsiderar a decisão do governo, a qual não foi respondida. A criança deve ser entregue ao seu pai biológico e deve morar nos EUA.

Parece que esqueceram que o nosso presidente é analfabeto, ou não contrataram a Fernanda Montenegro para ler e escrever as cartas de Lula. Finalmente, depois de sucessivas mancadas (casa pra Zelaya, casa pra Battisti), o Brasil deu uma dentro. Imaginem se a criança fica e depois descobre que poderia ter sido criada nos EUA pelo pai, ao invés de ficar aqui em Pindorama sendo criada pela avó! Se fosse comigo, eu ficaria indignado e tentaria de tudo para dar o fora daqui!

Um comentário:

  1. eita!
    Se eu fosse esse guri e tivesse sido criado no Brasil iria quere enforcar meu pais heheheh.
    E o auecimento globol hein? só vejo nevasca após nevasca.....

    ResponderExcluir