domingo, 31 de janeiro de 2010

O Brasil no Haiti.

Fico me perguntado: que raios faz o Brasil no Haiti? Porque diabos estamos em missão de paz naquele país, se sequer conseguimos assegurar a paz aqui no nosso quintal? A resposta, é o desejo incompreensível de termos uma cadeira cativa no Conselho de Segurança da ONU. E então, sou obrigado a perguntar: PARA QUÊ??
Ora, o Brasil não tem qualquer condição de se tornar membro permanente do Conselho de Segurança da ONU. Como pode querer se intrometer em assuntos globais se sequer consegue controlar a violência diária enfrentada todos os dias nas grandes cidades? Soma-se a este fato, a precária situação das nossas Forças Armadas, quer pelo sucateamento total de seus materiais, quer pelo fraco preparo operacional. Enganam-se aqueles que pensam ser o Exército Brasileiro, que hoje está presente no Haiti, a instituição preparada para responder a uma ameaça, porque não é. O preparo profissional se resume a centros de excelência, que não chegam a somar 1% do efetivo dos militares. A grande maioria, limita-se a atividades administrativas tediosas. Oficiais e sargentos aperfeiçoados não têm no preparo de seus homens, de seus soldados, a sua maior preocupação. Seus maiores temores são os prazos para entrega de relatórios mensais, ou no lançamento de dados em mirabolantes sistemas informatizados que apenas burocratizam cada vez mais as funções do militar. Pouco a pouco, ao avançar na carreira, o soldado se depara com atribuições e funções completamente estranhas à sua formação. Passam a ser administradores, contadores, assessores jurídicos, enfim, toda a sorte de ocupações que nada tem em comum com o verdadeiro ofício que escolheram excercer. Mesmo assim, lá está o Exército no Haiti.
Resultado: quando o Haiti precisou mesmo, quando o "bicho pegou" e o mundo esperava pela ação da ONU e do Brasil o que aconteceu? A comunidade internacional pediu socorro àqueles que tanto odeiam, que tanto discriminam: os EUA. E em uma semana, aportaram no flagelado país caribenho uma quantidade de equipamentos e homens que o Exército Brasileiro levaria anos para mobilizar. Sem burocracia, sem politicagens, os Norte-Americanos chegaram, assumiram a responsabilidade e mandaram às favas a ONU e seus burocratas, provando mais uma vez que quando a guerra deixa de ser de festim, os verdadeiros profissionais vão atuar. E o Brasil ficou com aquela "cara de bunda" observando atônito o poder de mobilização daquela potência. Para reforçar o argumento, o Brasil deseja enviar 900 soldados, o que até agora não fez, todos eles com a ressalva de já terem participados da missão no Haiti. Ou seja, o Exército Brasileiro assinou seu atestado de incompetência operacional. Pelo certo, no mínimo 70% da força deveria estar em condições de ser acionada. Afinal, como os generais gostam de falar com pompa e mística "um Exército pode ficar mil anos sem ser empregado, mas não pode ficar um dia sem estar preparado". Pelo visto, a anos estamos despreparados.
Como se não bastasse o papelão que fizemos por lá, colando as placas quando a população haitiana mais precisou, os militares brasileiros insistem no devaneio de que os EUA são o nosso inimigo em potencial, que eles querem tomar a amazônia, e blá blá blá. Ignoram por completo o processo de desmoralização sistemática pelo qual passam nossas Forças Armadas, em especial o Exército. Não bastasse a falta de material adequado, munições, alimentos, e fardamentos, agora a desmoralização e a desmotivalção toma conta dos soldados. Quando capitães preocupam-se mais em enviar centenas de relatórios sobre as mais diversas atividades, e sem que nenhum deles dê qualquer resultado, algo não vai bem. Quando um general começa a achar normal as dificuldades da tropa e que "a missão será cumprida" de qualquer maneira, definitivamente este Exército está fadado a ser aniquilado, sem sequer perceber o que está se passando. Enquanto os militares continuarem achando uma maravilha estas missões no exterior, estarão cada vez mais envoltos na sombra da ignorância, pois se seus egos são afagados de um lado, suas almas são tomadas de outro.


2 comentários:

  1. Parabéns agr Cap Morato!!!
    Excelente crítica!!! Sempre leio seu blog...abração cara!!!

    ResponderExcluir
  2. Achei bastante oportuno as criticas exposta pelo cap Morato, espero que consigamos reverter a situacao de nossas FFAA.

    ResponderExcluir