domingo, 11 de abril de 2010

Dourado e a Homofobia

O espantoso, para alguns, é que Dourado, que expôs sua opinião contrária acerca do homossexualismo e foi execrado por isto, ganhou o BBB.

Eu não assisto televisão aberta a um bom tempo, com exceção da Fórmula 1. Mas é difícil de ficar alienado ao mundo midiático quando o assunto BBB ocupa páginas e páginas de nossos noticiários, mobilizando opiniões e monopolizando as atenções. No famoso reality show, surgiu uma figura, personagem ou real de Dourado, que foi duramente criticado e perseguido por ONGs de toda a sorte por ele falar no programa sua posição "politicamente incorreta" sobre o homossexualismo. E adivinhe o que aconteceu?? Foi taxado de homofóbico.
Como já foi explorado nesse espaço, confunde-se a opinião com discriminação. A própria palavra preconceito tem sido colocada de maneira difusa de seu real significado. Ter preconceito é normal e inerente à condição humana. Se não fosse pelo preconceito talvez não tivéssemos sobrevivido durante a nossa evolução. É graças a ele que evitamos certos lugares e comportamentos que fatalmente nos levariam a morte. Preconceito significa ter idéia ou opinião inata sobre algo que objetivamente se desconhece. Mas isto não significa que haja a discriminação. Fosse assim, nenhum homossexual, por exemplo, poderia ser uma figura pública, pois a discriminação da sociedade (segundo ONGs safadas) os poria sumariamente para fora qualquer gay ou lésbica que se atrevesse a aparecer em público.
Ser contra a conduta homossexual, ou afirmar que casais gays não devam existir ou adotar crianças não é de maneira alguma manifestação de discriminação, e mesmo preconceito. São meras opiniões, que como tais devem ser respeitadas e discutidas e não criminalizadas. Quando alguém afirma que não se sente bem na presença de homossexuais, está no uso pleno de seu direito à liberdade individual. Discriminação seria puxar um revólver ou uma faca e matar a criatura pelo simples fato de ser gay.
De posse desse discurso "coitadista" as organizações pró-homossexuais conseguem progressivamente a chamada "discriminação positiva", que nada mais é do que dar a uma minoria, direitos que não são concedidos à maioria, como o direito de não ser criticado (!). Sendo assim, não querem ser normais e ter o direito de todo cidadão, mas sim, serem supra cidadãos, com garantias acima da lei imposta aos comuns. Ora, um casal só pode ser denominado como tal se for constituído de um homem e uma mulher e ponto final. Não adianta tratar igualmente aqueles que são desiguais. É preciso que, a estes, sejam dadas todas as oportunidades e todos os direitos que são reservados aos cidadãos comuns, respeitando suas limitações. Por este raciocínio, deveríamos conceder a CNH a cegos e imputar responsabilidades plenas aos mentalmente incapazes. Afinal, estes grupos são diferentes e se desigualam em relação à maioria, o que ocorre com o caso dos homossexuais. Então porque estes últimos são merecedores de toda sorte de direitos e outros grupos não?
O espantoso, para alguns, é que Dourado, que expôs sua opinião contrária acerca do homossexualismo e foi execrado por isto, ganhou o BBB. Um verdadeiro tapa de luva contra aqueles que acreditam que o povo brasileiro acha esta putaria sexual generalizada a coisa mais normal e aceitável do mundo. Uma amostra de que o brasileiro ainda é um povo de maioria conservadora, e a intelectualidade faz de tudo para desmoralizar e ridicularizar os que são conservadores, como se isto fosse crime.
O terreno para as idéias conservadoras sempre esteve pronto a receber as sementes das idéias de pessoas que se dispõe a defender este tipo de pensamento. Enganam-se aqueles que acham que somente o poder da mídia pode determinar o resultado de uma eleição, por exemplo. Fosse assim, o povo teria votado favoravelmente à lei do desarmamento que foi apoiada descaradamente pela quase totalidade dos meios universitário, cultural e artístico. O apoio da mídia é de grande importância, mas não é tudo. E é devido à falta deste apoio aos ideais conservadores que faltam candidatos que os defendam e consequentemente o que vemos é sempre o mais do mesmo.
Se o setor conservador (de direita) tivesse o mínimo nível de organização que os progressistas (esquerda) certamente o resultado das urnas seria diferente. A vitória de Dourado e do Não ao desarmamento estão aí para confirmar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário