sábado, 14 de agosto de 2010

Seu Voto Pode Mudar Nosso... Não, Não Pode

De nada adianta depositar minha confiança em pessoas que efetivamente não me representam, como se já não bastasse a obrigatoriedade ridícula do voto.

Não assisti às entrevistas dos candidatos à presidência e não tenho a mínima vontade de ver os debates entre os políticos. De que adianta ficar me iludindo com este ou aquele presidenciável se eu sei que todos são farinha do mesmo saco? Dilma, Serra, Marina, Plínio, todos, absolutamente todos estão congrassados no mesmo objetivo, que é continuar com o socialismo no Brasil. Os meios até podem ser diferentes, mas os fins são os mesmos. Diferença visível, talvez só na área econômica. Porque de resto, tudo igual. Basta verificarmos as coligações políticas nos diversos Estados e veremos que tem lugar em que partidos de oposição estão coligados com os da situação... Uma verdadeira zona.
Esta planificação ideológica é o que me faz justificar  o voto. De nada adianta depositar minha confiança em pessoas que efetivamente não me representam, como se já não bastasse a obrigatoriedade ridícula do voto. Transformaram um direito em uma obrigação. Assistir a debates e a entrevistas? Para quê? Se as pergunta que precisam ser feitas não são? Se os assuntos que deveriam levantar debates não serão abordados?

Tenho certeza que nenhum apresentador de telejornal tocará em qualquer um dos seguintes assuntos:
  •  Formação do Foro de São Paulo, a maior articulação política da história latino-americana, e seus integrantes como PT, FARC, MIR dentre outros;
  • Progressiva concessão de superdireitos às minorias, como os homossexuais;
  • Destruição dos valores familiares e da autoridade dos pais através do ECA;
  • Programas sociais que retiram dinheiro de quem trabalha para quem não trabalha. Explicações sobre o bolsa-preso, onde os manés pagadores de impostos financiam a família do vagabundo preso;
  • Formação de centenas de novos quadros de funcionários públicos que oneram o bolso do contribuinte e trazem serviços de péssima qualidade;
  • Aumento anual da carga tributária;
  • Projeto de censura prévia da imprensa;
  • Controle do Estado na vida privada, acabando com a liberdade do cidadão em escolher seus próprios destinos
Claro que estes são apenas poucos pontos dentre muitos que não serão discutidos. E isto ocorre porque não existe oposição no Brasil. Todos os partidos apoiam a manutenção da atual situação. E tem gente que tem a coragem de chamar de direita, partidos como DEM e PSDB. Francamente! Não são. Eles apenas fazem parte da esquerda vestida com roupas diferentes. Seus objetivos são precisamente os mesmos de PT, PSOL, PSTU etc. Aliás o próprio Serra disse que está mais a esquerda que Dilma. Muda só o modelo de condução econômica, e olhe lá!
Votar, debater, entrevistar, para quê? Se tudo o que vemos nada mais é do que um grande teatro armado e apoiado pela mídia, pela intelectualidade e pelos imbecis úteis como estudantes e rebeldes sem causa em geral que não conseguem enxergar além de suas camisas do Che Guevara ou dos livros de Lênin, Marx e Gramsci.

Nenhum comentário:

Postar um comentário