domingo, 5 de setembro de 2010

Avanço Totalitário

E assim, o Exército de Caxias vai tornando sua farda camuflada cada vez mais vermelha. E o último possível foco de resistência está minado.

Sem que a grande maioria da população perceba, lentamente o Brasil caminha para um regime democrático totalitário. Neste tipo de sistema, a população pode escolher livremente seus governantes, mas todos eles pertencem a um mesmo partido. Oficialmente ainda não estamos nesta fase. Ideologicamente, entretanto, vivemos esta situação a pelo menos oito anos. Afinal, a orientação política de TODOS os partidos é única: todos são de esquerda. Qualquer movimento feito para a direita é automaticamente esmagado não pela política, mas pelo meio intelectual e jornalístico, que imediatamente qualifica o mínimo suspiro moribundo direitista de golpe branco, golpe de Estado e outras bobagens. O resultado está aí. Realizamos o sonho democrático lulista, pois ele mesmo declarou que o fato de termos somente partidos de esquerda nas eleições de 2010 é prova cabal da evolução democrática nacional. É pessoal, o PT não está para brincadeira. O totalitarismo se aproxima, e não tardará a chegar.
A única força que poderia segurar o ímpeto socialista e totalitário petista reside nos quartéis das três forças singulares. Os militares são a única esperança de resistência a esta imposição a um regime que sepultará para sempre a liberdade individual. Ou melhor, eram. Progressivamente e de maneira brilhante, a estratégia comunista de tomada do poder começa a chegar a seus passos decisivos. Começou com a criação do Ministério da Defesa, e agora surge o Estado-Maior das Forças Armadas, mais um órgão recheado de civis que progressivamente quebra a espinha dorsal da hierarquia, fazendo com que o comando das Forças deixe de ser exercido por um chefe militar e passa a ser feito por uma espécie de comissariado, ao melhor estilo soviético. E assim, o Exército de Caxias vai tornando sua farda camuflada cada vez mais vermelha. E o último possível foco de resistência está minado.
O mais incrível disto tudo é a passividade dos próprios militares. Nenhuma reação, nenhuma declaração. Apenas a aceitação passiva de mais este movimento revolucionário. É claro que isto tudo tem uma explicação. A infiltração comunista dentro das Forças Armadas, mesmo em suas escolas de altos estudos é a grande responsável pelo enfraquecimento mental dos militares. Na própria Academia Militar das Agulhas Negras, nada é ensinado sobre a estratégia comunista de tomada de poder, sobre a verdade acerca do movimento democrático de 64. Limita-se a aspectos totalmente militares, o que transforma o Exército de guardião da soberania nacional, em apenas mais um instrumento a ser utilizado pelos donos do poder.
A estratégia para a compra das mentes fardadas é simples: aumentos irrisórios de salários, novos equipamentos (como blindados da década de 70) para os quartéis e uma ou outra liberação de recursos para operações militares. Isto  basta para manter os militares ocupados com seus "brinquedinhos" enquanto o verdadeiro inimigo atua dentro de suas almas, de sua mente. Imaginam inimigos ao norte, quando este está incrustado no centro cerebral das Forças Armadas, correndo e devorando seu cérebro a cada dia que passa.
E como o cérebro não sente dor, nossos generais seguem felizes ao verem o Exército participando da vida nacional. Não percebem que, de fato, os militares estão se tornando cada vez mais o punho de ferro da revolução. E quando (se) perceberem será tarde.

Nenhum comentário:

Postar um comentário