sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Educação Revolucionária

O governo federal vem colocando na mídia uma série de peças publicitárias que pregam a valorização da educação como forma de alcançarmos o desenvolvimento atingido pelas nações mais ricas do mundo. Do incentivo para que o jovem escolha a carreira do magistério até a imposição velada aos pais para que coloquem seus filhos nos estabelecimentos educacionais desde a idade dos quatro anos, a campanha é ampla. A intenção parece boa (como todas aquelas que estão no inferno) mas o que ocorre é que o sistema educacional brasileiro, após décadas de infiltração marxista, deixou de ser difusor do conhecimento para tornar-se apenas um instrumento doutrinatório da ideologia comunista. O resultado é que nossas crianças são progressivamente expostas a um sistema de desmoralização de valores familiares e religiosos irreversível. Tudo em busca "de um mundo novo possível".
Assim, nossos filhos vão sendo literalmente sequestrados, mesmo estando em nosso convívio diário. Seu cativeiro não é mais uma casa abandonada ou uma tapera no interior. Na verdade, não é sequer uma estrutura física. Nossas crianças acabam ficando cativas em seu próprio cérebro, encarceiradas dentro de suas almas, ambos abduzidos pelo poder cada vez mais crescente da ideologia marxista, sequestradora de caráter e espírito. Quando saem dos bancos escolares e entram na vida intelectual, política e econômica da nação, estão programadas a agir como máquinas de difusão da ideologia revolucionária, degenerando cada vez mais as bases familiares e religiosas sobre as quais se assenta nossa sociedade. Não possuem senso crítico ou qualquer liberdade de pensamento. Sua liberdade estará para sempre aprisionada dentro de seu intelecto, moldado e construído desde a mais tenra idade a ir de encontro a todos os princípios de liberdade.
É assim que uma nação vai sendo corrompida. O processo é longo, mas progressivo e inexorável, pois os que se dão conta do que se passa são automaticamente desacreditados pela massa amorfa e sem conhecimento. Claro que isto não começou da noite para o dia. Desde os anos 70 a infiltração marxista no meio cultural , jornalístico e universitário produziu milhares de "intelectuais" que perverteram tudo aquilo que nossos pais nos ensinaram. Agora passa-se a uma fase ainda mais sinistra do processo, onde o Estado garante que os pais possam trabalhar tranquilos enquanto deixam seus filhos entregues à mercê de um sistema educacional altamente politizado e militante, cujo objetivo não é ensinar ou educar, mas apenas doutrinar.
O mantra mágico é que a educação é dever do Estado, quando não é. Educação é dever e direito dos pais. Dever porque cabe fundamentalmente à eles a educação de seus filhos da maneira que acharem melhor, mesmo que seja educando-os nas disciplinas acadêmicas dentro de casa. Direito porque, sentindo-se incapazes de fornercer a educação dita "formal", cabe ao Estado garanti-la.
O papel da escola é puramente o de repassar e incentivar a busca do conhecimento científico e não comportamental. Quando vemos camisinhas sendo distribuídas em escolas e todo mundo achando isto a coisa mais positiva do mundo, vê-se a distorção a que chegou o papel da escola. Questões sexuais e religiosas devem ser repassadas dos pais a seus filhos e não pela escola. Valores como família, trabalho, dinheiro, caráter, moral e ética também.
Entretanto, o que acontece é muito diferente. Escolas ensinado às crianças como se tornarem pervertidas (mas com segurança, vide a camisinha) e tratando de assuntos como o homossexualismo pela imposição de uma visão unilateral e distorcida do assunto fazendo parecer que seja algo "natural", uma atividade que sequer pode ser criticada ou contrariada, não é definitivamente benéfico. Tratar bandidos como se fossem vítimas da sociedade e propor a distribuição compulsória de dinheiro público para famílias pobres para acabar com a pobreza também não. O ganho de capital pelo trabalho é relegado a segundo plano, e todo aquele que consegue, por seu esforço, ser bem sucedido na vida é tratado imediatamente como um porco capitalista responsável pelas mazelas do mundo.
Entregar nossas crianças aos cuidados do Estado é exatamente o que os vermelhos querem. Só assim eles poderão sequestrar suas almas e moldar seus caráteres e suas mentes, fazendo com que deixem de ser nossos filhos e passem a ser os filhos da revolução.

3 comentários:

  1. Até em colégios particulares se tem esse problema que é a presença de professores esquerdistas.

    ResponderExcluir
  2. É justamente este o problemas. Os "educadores" são na verdade, recrutadores de novos militantes para a causa do partido, deturpando a moral, retirando o poder dos pais na educação dos filhos, nos deixando à mercê da ideologia revolucionária.

    ResponderExcluir
  3. Meu Deus, eu nunca li tanta sandice junta....
    Pensei até que fosse primeiro de abril.

    ResponderExcluir