domingo, 22 de maio de 2011

A Potência Burra

O falar e escrever na norma culta não é importante e nem certo. Certo é falar e escrever no modo coloquial, com todas as aberrações gramaticais que isto possa trazer. É mais do que óbvio que um indivíduo familiarizado com a forma culta da língua tem muito mais facilidade em entender sua forma popular, porém a recíproca não é verdadeira. De uma só pancada, matam-se dois coelhos: hostiliza-se a "elite burguesa" e torna os novos estudantes incapazes de compreenderem obras escritas por pensadores que possam abrir os olhos daqueles.

Enquanto professores amargam salários pífios, escolas se deterioram nos mais longínquos rincões do país, hospitais ficam cada vez mais lotados e precários e a população de bem é enganada com a ideia de que são as armas legais que fazem crimes, somos a 7ª economia do mundo. Legal né? Somos uma potência emergente cupanhero! Nunca antes na história deste país chegamos a tal patamar de desenvolvimento. Parece que, finalmente, apesar dos porcos burgueses-capitalistas-malditos-sanguessugas, o futuro chegou no país do futuro!
Sim. É verdade que temos agora um destaque econômico a nível mundial. E com tanto dinheiro, tanta riqueza, temos escolas eficientes, um sistema de segurança invejável, hospitais maravilhosos e uma infra-estrutura capaz de levar o cidadão de Belém a Porto Alegre em modernos trens de alta velocidade. Sonho? Sim, sonho. O apetite voraz do leão, a "distribuição de renda" (a sua e a minha renda né?) através de programas assistencialistas e a criação de inúmeras vagas para a copanherada faz com que toda esta riqueza seja sugada pelo fisco, pelas "bolsas" e pelo aparelhamento estatal. E assim, a potência brasileira segue pífia e miserável. Paradoxo de sistemas totalitários e socialistas: não deixam os pobres mais ricos, deixam os ricos mais pobres e os muito ricos (integrantes e militantes do partido) mais ricos ainda. Este é o país de todos!
Entretanto, para o desenvolvimento pleno de uma nação é necessário o investimento na educação, base do conhecimento científico e intelectual que garante ascensão social e geração de riqueza. E nosso querido Grande Irmão sabe disso. Prova disso são os livros muy didáticos que estão sendo distribuídos pelo MEC para educarem nossas crianças. Os de história, cantam louvor e glória a Lula e enterram na lama todo o resto. A cartilha gay prega que o homossexualismo é "maneiro" e mesmo desejável. E a nova gramática ensina que falar e escrever errado é certo. Que maravilha é a nossa educação! Teremos, assim, estudantes que são o verdadeiro sonho de consumo da esquerda: petistas (socialistas), gays e burros! Uma maravilhosa massa de militância pronta a defender com unhas e dentes a causa, sem capacidade de raciocínio e completamente mergulhada na ideologia, bem aos moldes da juventude nazista.
Como toda a estratégia do movimento revolucionário, nivela-se tudo por baixo. A chamada "elite" (que numa estrutura social, mesmo animal, serve de parâmetro) passa a ser igualada, em todos os sentidos, à mediocridade. O falar e escrever na norma culta não é importante e nem certo. Certo é falar e escrever no modo coloquial, com todas as aberrações gramaticais que isto possa trazer. É mais do que óbvio que um indivíduo familiarizado com a forma culta da língua tem muito mais facilidade em entender sua forma popular, porém a recíproca não é verdadeira. De uma só pancada, matam-se dois coelhos: hostiliza-se a "elite burguesa" e torna os novos estudantes incapazes de compreenderem obras escritas por pensadores que possam abrir os olhos daqueles. Afinal, qualquer autor que queira ser algo mais que medíocre, fará grande esforço para escrever na norma culta do Português. Fica fácil, pois, para que escritores militantes, sob o manto da identificação com o povo, continuem disseminando a causa. Aqueles que a desmascaram, não serão compreendidos pelos futuros leitores, pois estes não conseguirão entender o que está escrito em suas obras, mesmo que gramaticalmente correta. Estratégia brilhante!
Quanto mais o tempo avança, mais aberrações como estas são aprovadas. Cada vez mais a população é doutrinada ao invés de ser educada. Mais e mais estudantes estão sendo moldados para serem a voz longínqua da revolução. Nossas escolas há muito deixaram de ser locais de estudo, pesquisa e confronto intelectual. Não passam de grandes fábricas produzindo soldados socialistas, cada vez mais alheios, mais doutrinados e mais burros. E nossos representantes onde estão? Felizes e sorridentes nos corredores do poder, certos de que por mais ilegalidades e imoralidades que façam estarão sempre saboreando a vitória, quer seja através do voto de uma população cada vez mais ignorante, quer seja através de uma nomeação em um dos milhares (quiçá milhões) de cargos da nossa pesada e ineficiente administração pública estatal.
Sim, somos a sétima economia do mundo. E daí?

Um comentário:

  1. Boa tarde. Foi uma grata surpresa encontrar seu blog. Surpreendi-me com a clareza de seus textos e por sua visão muito clara do que está ocorrendo em nosso País (diga-se, algo raro num jovem oficial do EB, pelos motivos que conheces e expõe com muita propriedade).
    Peço sua autorização para reproduzir seus textos em meu blog, montedo.com (www.montedo.blogspot.com).
    Contato pelo e-mail ricardomontedo@gmail.com
    Saudações cavalarianas
    Ricardo Montedo

    ResponderExcluir