quinta-feira, 9 de junho de 2011

Companheiro Terrorista

Somente os que cometem o sacrilégio de buscar o conhecimento longe das redações de jornais e da oratória dos professores universitários conseguem entender que quando o criminoso é de esquerda ele está automaticamente absolvido de todos os crimes que cometeu, comete e cometerá, a não ser que o delito seja o de abandonar a causa. Neste caso, ele passará a ser o bandido mais perigoso do mundo.

Ao negar a extradição do terrorista italiano Cesare Battisti, provou-se mais uma vez como são tratados os criminosos da esquerda aqui em Pindorama. Tratados foram descumpridos, leis foram violadas, e a vontade do Imperador foi cumprida: camaradas de ideais não cometem crimes comuns, cometem crimes políticos. Esse é o país que quer ter um assento permanente no Conselho de Segurança da ONU (como se isso fosse grande coisa)!
A ministra italiana da Juventude Giorgia Meloni, classificou o ato como indigno de uma nação civilizada. Mas desde quando o país do carnaval é uma nação civilizada? Um lugar onde se ensina a escrever errado, onde santifica-se o homossexualismo e onde criminosos que mataram, sequestraram, estupraram e torturaram recebem como punição polpudas indenizações porque lutaram "pela causa" não pode mesmo ser levado a sério. Aqui, o assassino e terrorista de esquerda tem sua extradição negada. Em contrapartida, pobres boxeadores que querem fugir da ilha-prisão são, em tempo recorde, imediatamente enviados de volta ao cárcere do qual pretendiam sair.
Nessas terras, o valor da vida humana e a dignidade da família só existem para os que compactuam de ideias consoantes com o socialismo. Se alguém comete um crime em nome da causa política, este é imediatamente isento de toda e qualquer culpa. Bombas foram explodidas, agentes da lei torturados e mortos e as pessoas que cometeram tais barbaridades são tratadas como eternos heróis e perseguidos políticos. Mas aqueles que os combateram em uma luta violenta que, pela dureza da situção, tiveram que matar ou mesmo torturar são punidos com o mais rigoroso pulso da esquerda. Ou será que retirar a vida de pessoas para impor um regime comunista não é crime, é um ato de bravura, grandeza? 
Somente os que cometem o sacrilégio de buscar o conhecimento longe das redações de jornais e da oratória dos professores universitários conseguem entender que quando o criminoso é de esquerda ele está automaticamente absolvido de todos os crimes que cometeu, comete e cometerá, a não ser que o delito seja o de abandonar a causa. Neste caso, ele passará a ser o bandido mais perigoso do mundo. Caso contrário, seguirá sendo apenas mais um companheiro que luta "por um mundo melhor", independentemente dos crimes que cometa.
Veja, cara ministra italiana: jamais o Brasil será indigno por ter cometido tamanha violência contra o povo italiano. Afinal, somente uma nação civilizada poderia receber, por ato tão vergonhoso, tal adjetivo. E se tem algo que não somos, é um país civilizado.

2 comentários:

  1. Infelizmente enquanto a esquerda permanecer com voz ativa nós nunca deixaremos de ser "sub-cidadãos" de uma republiqueta das bananas em que o bandido é considerado cidadão e tem "direitos" inacessíveis a uma grande parcela dos cidadãos de bem que nunca levaram nem um baculejo.

    http://cripplerooster.blogspot.com/2011/05/conforto-para-o-ladrao-pessimo.html

    ResponderExcluir
  2. Li o Gado Fardado (recebi por e-mail), achei muito interessante. Mas, diferente de você acredito tanto na existência da "democracia" quanto creio em Papai Noel e Coelhinho da Páscoa.

    ResponderExcluir