segunda-feira, 27 de junho de 2011

O Sistema é Foda

A questão posta deveria ser: porque eu sou obrigado a aceitar, por lei, pessoas que eu não quero que frequantem meu restaurante? Ora, alguém obrigou o tal casal homossexual a ir naquele restaurante? Era este restaurante um lugar público sujeito à administração estatal? Não, não e não. 

O Sistema é foda! Com esta frase, Tropa de Elite 2 transmite uma mensagem muito mais sutil do que a simples indignação do capitão Nascimento com o satatus quo do país. Ela, acima de tudo, transmite ao espectador que está sentado na poltrona do cinema (ou numa cadeira, ou sofá da sala) que não adianta tentarmos modificar a atual situação que vivemos. Afinal, sequer o mais novo herói nacional conseguiu tal façanha não é mesmo? É... O sistema é foda!
Vivemos cada vez mais inseridos num processo de castração moral, onde somos tolhidos de lutarmos por nossos direitos, por nossas liberdades e por tudo aquilo que acreditamos. Não adianta, não venceremos. Mesmo sendo a vontade da maioria, não dá. O sistema é foda!
Eu não olho TV aberta no Brasil, com exceção da Fórmula 1 e... Bom, e mais nada. Mas num raro momento em que estava ligando o dito aparelho, eis que acontece uma coincidência destas que só acontecem com certas pessoas.
Estava passando a novela das oito (ou das nove, vá se saber), justamente um diálogo onde um dono de restaurante estava indignado porque não tinha o direito de proibir a entrada de casais homossexuais em seu negócio. Seu amigo, ou sócio, prontamente o consolou: "não adianta lutar contra isso. Vai insistir em ir contra uma decisão do Supremo? Se ele decidiu, está decidido." Perceberam a mensagem? Não adianta lutarmos por nossos direitos, não adianta esperneamos, não adianta ficarmos raivosos em nome de nossa liberdade. Não adianta. O sistema é foda.
A questão posta deveria ser: porque eu sou obrigado a aceitar, por lei, pessoas que eu não quero que frequantem meu restaurante? Ora, alguém obrigou o tal casal homossexual a ir naquele restaurante? Era este restaurante um lugar público sujeito à administração estatal? Não, não e não. 
O direito à liberdade não pode ser restrito a apenas um lado. O dono de qualquer estabelecimento tem que ter o direito de aceitar em suas instalações quem ele quiser, e de rejeitar quem ele quiser também oras. Se um proprietário de um bar quer aceitar fumantes por exemplo? Qual é o problema? "Ah, mas aí os outros vão virar fumantes passivos" vão dizer os maníacos anti-tabaco. Mas pergunto: pessoas que frequentam ambientes privados onde fumantes são aceitos são obrigadas a fazê-lo? Não. 
O que temos, neste exemplo, é uma cara afronta ao direito do dono do bar, restaurante, boate e afins de querer em seu estabelecimento quem ele julga que deva entrar. 
Por raciocínio semelhante, se um restaurante não aceita gays, mulheres, negros, brancos, héteros, animais, pessoas de bermuda ou qualquer outra coisa, porque ele deve ser obrigado a fazê-lo? "Ah, mas isto é preconceito" diriam os gayzistas, feministas e tantos outros "istas" de plantão. E aí pergunto: por acaso já foi visto uma pessoa ou grupo de pessoas ser colocado sob canos de metralhadoras e fuzis com alguém dizendo "aí maluco, a parada é a seguinte: ali naquele bar não são aceitos gays, mas são aceitos fumantes skinheads e neonazistas morô? Tu vai fazer o seguinte: entra lá e passa a noite toda lá dentro. Se tu sair maluco, vô te apagá cumpadi!" Claro que ninguém jamais viu uma cena dessas pelo simples fato de que ninguém é obrigado a frequentar este ou aquele lugar. Portanto, se os donos de estabelecimentos não quiserem aceitar este ou aquele grupo de pessoas... E daí? Qual é o drama? É só os que se incomodam não frequentarem mais estes lugares. E assim, naturalmente, as coisas vão se ajustando.
O problema é que estamos sendo vítimas de uma verdadeira mordaça, no caso, a mordaça gay. O cidadão não pode ter o direito de criticar tal conduta, de ser contrário a tal conduta e nem mesmo de querer evitar o contado com pessoas desta orientação sexual. As liberdades individuais estão sendo cada vez mais engolidas pela imposição de comportamentos minoritários que estão literalmente destruindo a indiviualidade que caracteriza cada ser humano.
Sob o lema de acabar com o preconceito, estão acabando com a nossa liberdade, inclusive a deles próprios. Afinal, o que se aplica a um grupo hoje pode não se aplicar amanhã. 
É pena que nós brasileiros não tenhamos noção do que significa a palavra liberdade, do que significa ter o direito de aceitar ou não aceitar determinadas condutas ou pessoas. Por isso não conseguimos nos revoltar contra tamanha afronta à ela. Pelo contrário! Achamos realmente que é um pecado mortal nós decidirmos quem entra em nossa lancheria, sorveteria, bar ou restaurante.
Contribuindo para esta alienação, a televisão, o cinema e os jornais apenas nos ensinam uma lição: não adianta lutar pelo seu sagrado direito de serem livres "malditos direitistas".Com certeza, leitores mais ignorantes chamarão este texto de homofóbico. Não meus senhores. Este texto (assim como todos os outros deste autor) batalha apenas por uma coisa: liberdade. Liberdade para que os homossexuais e minorias em geral lutem pelos seus direitos (ou pelo que acham que é seu direito). Mas também liberdade para que cada indivíduo possa aceitar ou não quem quer que seja dentro de sua propriedade, quer seja particular, industrial ou comercial.
Sei que é difícil o combate e, ainda mais ser compreendido; porque sei que "O Sistema é Foda".


5 comentários:

  1. Fomos doutrinados para a acomodação e para nos sentirmos miseráveis por defender a verdade, a justiça e a liberdade.
    Aos poucos estou me curando mas quero mesmo e ír ou para EUA ou para Polônia; neste não saberia nem cumprimentar alguém, naquele eu me viro.

    ResponderExcluir
  2. Teu Blog é ÓTIMO!!, estou seguindo..

    O meu blog é:
    http://www.cientistasp.blogspot.com

    Para quem quiser seguir ele, está aí..

    Abraços!.

    Carlos R. Pioli.

    ResponderExcluir
  3. Muito bom o blog, principalmente porque não se prende à retórica da idiotice, encravada na coisa da papa na língua.

    Interessante vc ser de Santa Maria, cidade na qual residi de 2000 a 2005, na Fernando Ferrari, próximo ao Shopping, nos prédios da Aeronáutica.

    Vá, também, ao meu blog e deixa um comentário por lá, valeu!

    Abraços.

    Henrique.

    http://cronicasescritas.blogspot.com e outro:

    censurazeroum.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Como sempre, na mosca! Na ferida! Parabéns, principalmente por colocar "a foda" no devido lugar.

    Miguel, direto de Drammen, Noruega.

    ResponderExcluir
  5. "Ora, alguém obrigou o tal casal homossexual a ir naquele restaurante?"

    Suponhamos que essa situação fosse real (o que não descarta de já ter acontecido), mas com outros requisitos do tipo 'proibida a entrada de direitistas, cristãos ou judeus' por exemplo, sua critica teria esse mesmo teor? Provavelmente não, até porque quem não é conservador ou não segue religiões de mesmo cunho é automaticamente taxado de esquerdista ou comunista (fato). E pra você, o que seriam então os direitos das minorias?

    ResponderExcluir