domingo, 10 de julho de 2011

Colheita Maldita.

Poderíamos comparar o caso europeu a uma grande plantação de trigo, na qual este foi descartado e o joio foi separado e continuamente semeado ao longo de décadas de assistencialismo e welfare state.

A crise europeia cada vez mais se aprofunda e parece querer contaminar outros países com porte econômico superior à Grécia. A bola da vez agora é a Itália. E dentro em breve a Irlanda, Portugal, Espanha e a França estarão indo pelo mesmo caminho. Premonição apocalíptica? Consulta com a mãe Dinah? Mensagem dum preto velho? Não meus caros, apenas o desfecho de um processo que há muito tempo vem se anunciando e sobre o qual já escrevi a cerca de um ano e voltei a abordar no começo de 2011. A crise é anunciada. A questão é de tempo.
Reportagem no site G1 mostra que o bloco europeu está cada vez mais preocupado com o tamanho da crise grega e com a Itália, tendo convocado uma reunião emergencial para tentar solucionar tais problemas. O que acontece é que para sair do buraco, a Europa precisará ir de encontro à agenda keynesiana e finalmente compreender que o sistema proposto por ele simplesmente não funciona. O Estado como financiador do crescimento é um engodo. A história está aí para nos ensinar: os anos em que houveram maior desenvolvimento econômico e a famosa "inclusão social" tanto na Europa quanto nos EUA foram os anos nos quais a liberdade de mercado e o fomento à iniciativa privada foram estimulados, especialmente nos governos de Margaret Thatcher e Ronald Regan.
O intervencionismo na economia patrocinado pelos governos europeus e a distribuição desenfreada de seguros e garantias estatais à população fatalmente levam qualquer país à bancarrota. Isto ocorre porque nem todos as pessoas que são cobertas pela seguridade social pagam por ela. Assim, para financiá-la, os governos recorrem a duas soluções burras: aumento tributário e endividamento interno. Uma hora a bolha teria que estourar. E está estourando.
Poderíamos comparar o caso europeu a uma grande plantação de trigo, na qual este foi descartado e o joio foi separado e continuamente semeado ao longo de décadas de assistencialismo e welfare state. Enquanto isto, o capital privado que pode efetivamente enriquecer uma nação foi sendo cada vez mais amaldiçoado a ponto de ocorrer um processo de "brazilinização" da Europa: todos querem direitos, mas ninguém quer deveres e responsabilidades. O resultado é a safra que estão colhendo. Não se pode tirar da terra o trigo para o pão se somente foram plantadas ervas daninhas.
A solução do problema é amarga e dolorosa. Não é fácil arrancar este verdadeiro câncer que tomou conta da Europa e que também toma conta do Brasil. A população não conseguirá entender as medidas necessárias para recolocar as economias do velho continente nos eixos. O povo europeu está anestesiado a tanto tempo com o fato do Estado cuidar de sua vida que não consegue enxergar além das aposentadorias deficitárias e das diversas modalidades de seguro que  endividam cada vez mais os países europeus.
Urge uma mudança, uma correção nos rumos da Europa. Se religiosa e culturalmente ela está em estado de coma, economicamente parece estar prestes a completar sua auto-destruição, coisa que vem fazendo a pelo menos três décadas.

2 comentários:

  1. Lenilton,tenho acompanhado todos os seus temas e me sinto gratificado por seus conteúdos,percebo a relevância de suas reflêxões, neste intrincado labirinto chamado Brasil.
    Tudo que vc escreve eu leio,obviamente,vc pode não estar 100% certo,mas esta perto disto,pelo menos,da para perceber que vc é um jovem cidadão responsável e normal,coisas que grande parte do poder Palaciano e da mídia tendenciosa,arbitrária e subserviênte estão querendo destruir.
    Como seu fã,peço que não se deixe intimidar e continue nos premiando com a sua brilhante literatura, abordando tudo que for necessário abordar,com a transparência que lhe é explícita.
    Este país pertence a vcs,jovens,não esmoreçam e monstrem que ainda existe luz no farol para tentar oriêntar os perdidos.QUE DEUS OS AJUDEM A SALVAR ESTA NAÇÃO.

    ResponderExcluir
  2. Quero "pegar carona" no comentário do Haydil e fazer côro ao mesmo.

    É isso aí, meu jovem Lenilton, não pare de escrever! É um apelo... espero que o povinho brasileirinho caia na real e perceba o mal que esta quadrilha no poder, vem fazendo ao Brasil.

    Abraços e boa sorte!

    Miguel, Drammen, Noruega.

    ResponderExcluir