sexta-feira, 12 de abril de 2013

Surpresas Inexplicáveis

No editorial de terça-feira, Zero Hora mostrou-se ao mesmo tempo indignada e surpresa com a atitude do governador Tarso Genro de ter comparecido ao Fórum da Igualdade em detrimento do Fórum da Liberdade. O texto alude que aquele que está na condição de governante, não deve priorizar este ou aquele evento, devendo prestigiar a ambos. Assim, a editoria do jornal escancara a sua total incompetência (ou conivência) em fazer uma análise da atitude de Tarso. Ora, o homem é do PT. Portanto, basta uma olhadinha no estatuto daquele partido e de suas diversas convenções para que seja provado que a preferência do governador pelo Fórum da Igualdade não só é prevista como normal. Afinal, é com este último que Tarso está ideologicamente alinhado.
O erro de ZH reside na tendência esquizofrênica de todo jornalismo nacional, qual seja, a de acreditar cegamente que, uma vez assumindo o poder, o novo mandatário irá despir-se de todas as suas crenças para satisfazer a todos. O que ocorre é justamente o contrário. Ao assumir um governo, seja em qual esfera for, o candidato passará a colocar em prática a agenda de seu partido. Foi para isso que ele se candidatou. Foi para isso que ele foi eleito. Bastava apenas que o aludido jornal verificasse o viés ideológico e as próprias declarações de Tarso, bem como a de seu partido para saber que a atitude tomada pelo governador era não menos que óbvia.
Outra surpresa inexplicável é a insistência do governador gaúcho em regular a imprensa. Senhores, este é outro "objetivo tarsiano" que não pode ser recebido com espanto ou surpresa. Como cria do Partido dos Trabalhadores, bebeu da fonte totalitária que emana permanentemente da intelectualidade petista, onde o controle de todos os setores da vida privada, e aí inclui-se a imprensa, é condição si ne qua non para esse partido atingir seu objetivo principal: hegemonia. 
O mesmo aplica-se à incompreensível surpresa que os veículos de informação mostraram quando da declaração do P C do B, em seu site, onde mostra seu apoio ao ditador da Coréia do Norte. É lógico que isto iria acontecer. O P C do B, como diz seu nome, é um partido comunista. Logo... Pior ainda é a deputada Manuela D'ávila tentando explicar o inexplicável, no melhor estilo "veja bem, não foi bem assim..." como se ela mesma não fosse favorável ao regime de Kim Jong-un. Lembrem-se, meus caros, que mentira, esquiva e falsidade são artifícios amplamente utilizados pelos seguidores da foice e do martelo.
Surpreender-se com a atitude de Tarso Genro ou com as declarações do P C do B é aceitável em um indivíduo que ainda não completou o ensino básico. Agora, quando este tipo de "espanto" atinge doutos redatores e editores dos grandes jornais, só restam duas explicações: ignorância total de seus colaboradores ou conivência total destes que, para disfarçar, fingem surpresa em fatos que são plenamente previsíveis. Fico com a segunda opção.





Um comentário:

  1. E não venha o Nélson Sirotsky mostrar-se indignado com a proposta do Farso Governador de incrementar o controle social da mídia, em níveis de até 80%.
    O eixo-do-mal (apud Políbio Braga)apoiou e apoiará o partido petralha, enquanto este sustentar o Grupo RBS e bancar a sua dívida.
    Parabéns pelo enfoque dado à matéria.

    Gaudêncio Sette Luas.

    ResponderExcluir