quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Donos da Verdade

Em Porto Alegre, a avenida Castelo Branco teve seu nome mudado por força do vereador Pedro Ruas, do PSoL (só podia né) para avenida da Legalidade e da Democracia. Ainda, na capital dos gaúchos, foi erguido um memorial em nome de Luis Carlos Prestes, celebrado como herói embora tenha sido treinado na Rússia para fazer a revolução no Brasil. Por fim, no Rio de Janeiro, Chico Alencar (PSoL), quer mudar o nome da Ponte Rio-Niterói de Presidente Costa e Silva para... Betinho.

Entrar no mérito de cada uma dessas questões demandaria um texto separado para cada um e este não é o objetivo deste em particular. A questão aqui é outra. Como Stálin fizera na antiga URSS, o governo petista e suas linhas auxiliares apaga das "fotografias" tudo o que não lhe é conveniente. Não seria surpresa se, em alguns anos, nossos estudantes fossem convencidos de que todas as obras realizadas na História do Brasil são creditadas ao governo do PT. Pode parecer loucura, mas é o que pode acontecer.

Controlar o passado é controlar o futuro, como dizia George Orwell em "1984", distopia cada vez mais próxima de se tornar realidade em terras tupiniquins; e quem controla o presente, controla o passado. Assim, progressivamente a história vai sendo inventada ao bel prazer da esquerda até que todos os seus opositores sejam esquecidos e deturpados. É precisamente isso o que estamos presenciando a cada dia que passa. Os nomes daqueles que fizeram o país estão sendo substituídos por falsos heróis como Che, Betinho, Brizola, Marighella ou Lamarca, dentre outros. 

Paralelamente a esta ação, junta-se a Comissão da Verdade que, novamente citando Orwell, faz o papel de Ministério da Verdade, cuja função primária é transformar a verdade em mentira e a mentira em verdade. O objetivo é claro aqui: destruir tudo aquilo que seja contrário aos interesses do partido e revelar/inventar tudo aquilo que seja favorável a ele; precisamente o que a personagem Winston Smith fazia. Uma comissão que já nasce com a finalidade de descobrir a verdade apenas confirmará aquilo que seus chefes já determinaram como sendo.

A história, assim como a verdade, não é relativa. Ambas não possuem duas faces como muitos querem nos fazer crer. A primeira não pode ser reescrita, mas inventada. A segunda não pode ser dúbia. Ambas, entretanto, sofrem os efeitos das distorções causadas pelos seus observadores. Para corrigi-las, é necessário que se tenha o maior número de provas e evidências possíveis. Como pode, então, um grupo escolhido pela Presidência da República ser responsável por determinar o que aconteceu e o que deixou de acontecer no Brasil? É evidente que um grupo assim não possui qualquer credibilidade para ser o porta-voz da verdade histórica do país.

Fosse intenção do governo a busca pela "verdade", não haveria qualquer necessidade de se nomear quem quer que fosse para estudar os chamados arquivos da ditadura. A solução era muito, mas muito simples: bastava que eles fossem abertos a qualquer pessoa que quisesse consultá-lo. O problema é que muitos Senadores, Deputados e até a Presidente teriam suas máscaras retiradas e a sua verdadeira natureza exposta.

Certamente os arquivos serão abertos ao público. Para isso, basta apenas que a Comissão da Verdade termine o seu trabalho de adulterá-los, eliminar aquilo que incrimina seus superiores e salvar/inventar o que exalta seus ídolos. Só assim teremos nossas ruas, praças e avenidas nomeadas em honra a assassinos, terroristas, traidores sem que a população se dê conta de que está olhando para um passado inventado pelo partido que a aprisiona.

2 comentários:

  1. É assustador o que a cegueira ideológica leva esses lunáticos do PSOL a propor. Enaltecem criminosos que tentaram impor a "ditadura do proletariado" ao mesmo tempo que rotulam como "ditador" quem teve culhões para impedir que o Brasil virasse um Cubão.

    ResponderExcluir
  2. DONO DA VERDADE

    BOM,POR VÁRIAS RAZÕES,E PRINCIPALMENTE POR A MINHA,ME VEJO OBRIGADO A EXPRESSAR MINHA OPINIÃO SOBRE A EXPRESSÃO DONO DA VERDADE.
    EM MINHA CAMINHADA ,MUITAS VÊZES FUI CHAMADA DE DONA DA VERDADE,ALIÁS XINGADA DESSA FORMA.ACREDITO QUE DESDE QUE ME CONHEÇO POR GENTE,DEFENDI FORTEMENTE O QUE EU SENTIA.COM O DECORRER DO TEMPO E A DITA BUSCA ESPIRITUAL,ESSA MINHA FORMA DE SER TOMOU MAIS FORÇA,POIS PELO QUE ENTENDI,O MAIOR MESTRE ESTÁ DENTRO DE NÓS,ACUSADO POR MUITOS,DE EGO.NESSA GUERRA DE INFORMAÇÕES,ME DEI CONTA QUE NÃO EXISTE ELABORAÇÃO,OU DIRÍAMOS,DEGUSTAÇÃO EM RELAÇÃO AS INFORMAÇÕES QUE RECEBEMOS DE FORA.....SIMPLESMENTE ENGOLEM.ISSO ME LEMBRA MUITO O ATO DE ENGOLIR A HÓSTIA COMO CORPO DE CRISTO.
    BOM....MUITO OUVI,QUE EXISTE UM MUNDO SUPERIOR,ONDE TODAS AS IDÉIAS NAVEGAM LIVREMENTE,SEM NENHUM SENSOR DE USO EM RELAÇÃO A QUEM VAI MATERIALIZÁ-LAS OU CANALIZÁ-LAS NESSE PLANO TRIDIMENSIONAL.ESSA IDÉIA,SEMPRE ECUOU NOS MEIOS ,DIRÍAMOS ESPIRITUALIZADOS,ATRAVÉS DE PESSOAS QUE SE DIZEM ESPIRITUALIZADAS.
    HOJE,MEU CORPO VIBROU MUITO FORTE,QUANDO A GOTA D'AGUA,DE UM ASSUNTO REFERENTE A DIREITOS AUTORAIS RESERVADOS,BATEU EM MINHA PORTA.NÃO PUDE SEPARAR ISSO DO FATO DA COBRANÇA DE INDULGÊNCIAS POR PARTE DA IGREJA.PARA QUEM NÃO SABE,INDULGÊNCIA,ERA O PERDÃO DIVINO E PASSAPORTE PARA ENTRAR NO PARAISO,VENDIDO POR ALGUMAS IGREJAS.COM CERTEZA ELAS NÃO SÃO ACUSADAS DE DONAS DA VERDADE.
    SERÁ QUE O ATO DE PENSAR E DISCERNIR NOS TORNA RÉUS NOMEADOS DE DONOS DA VERDADE?
    SERÁ QUE A BUSCA DA INDIVIDUALIDADE,SAINDO DO BRETE,É UMA FACA DE DOIS LEGUMES?
    SERÁ QUE SE INDIVIDUALIZAR (PENSAR POR SI PRÓPRIO) É UM CRIME?
    SERÁ QUE VIVERMOS COMO ALMA GRUPO É A GRANDE VERDADE?
    SERÁ QUE APENAS EU ACREDITO QUE TODA A MATERIALIZAÇÃO DE UMA IDÉIA TENHA QUE TER DIREITO LIVRE DE ACESSO E USO?
    SERÁ QUE,SE APALAVRA AMOR FOSSE REGISTRADA POR ALGUÉM,E COBRADO DIREITOS AUTORAIS,SERIA MAIS VALORIZADA?
    BOM............

    CLARICE TARRAGO ROSA-
    PSEUDÔNIMO...DONA DA VERDADE

    ResponderExcluir