terça-feira, 23 de dezembro de 2014

PT Wars

A vida imita a arte, dizem. Verdade. Mas a  recíproca também é válida. Aliás, particularmente, creio que a arte é que imita a vida muito mais do que esta, aquela. Quando um autor faz a sua obra, geralmente está influenciado pelas impressões que ele tem do mundo real. Por mais fictícia que ela seja. É como dizia Fernando Pessoa: "O poeta é um fingidor/ finge tão completamente/ que chega a fingir que é dor/ a dor que deveras sente". De fato.
Os grandes nomes das sete artes inspiraram-se ou na impressão direta do que ocorria a seu tempo, ou nas deduções futuras baseadas naquilo que estavam vendo. No primeiro grupo, podemos citar autores como Tolkien, Camões ou Picasso. No outro, encaixariam-se Júlio Verne, George Orwell ou Da Vinci. Eles expressaram, por meio da arte, as impressões que tinham do mundo ou os caminhos que este tomaria no correr dos anos.
Embora todas as formas da arte tenham representantes de ambos os lados, nenhuma consegue ser mais popular e realista quanto o cinema. A combinação de elementos visuais e sons faz com que imagens estáticas, melodias e textos fundam-se na grande dela para transportar o expectador a uma realidade que, no decorrer de duas ou três horas, parece realmente ser... Real. Eis o grande diferencial da sétima arte.
Não obstante a criatividade por vezes absurda de roteiristas e autores, algumas obras cinematográficas são dignas de serem chamada de primas e, como as demais formas de arte, flutuam nos dois aspectos já citados. Irei me ater ao segundo. Como exemplos, podemos citar o filme "V, de Vingança", que retrata uma sociedade totalitária dominada por um partido conservador. Aqui, uma desinformação: sociedades totalitárias ao longo do século XX foram de esquerda (o nazismo/fascismo tem na sua espinha dorsal, os ideais marxistas com uma ou outra diferença). Não fosse este pequeno grande detalhe, o filme seria um retrato fiel do que ocorreu nos países socialistas. 
Já na trilogia "Batman", dirigida por Nolan, temos o retrato de uma sociedade moralmente corrompida que possibilita o surgimento de um vigilante da justiça (o Batman, treinado por uma sociedade secreta que, depois, virá a ser o alvo de sua demanda) que combate um louco que semeia o caos (O Coringa) e um outro que, para conter o caos criado, instaura um regime de exceção (presidido pelas "minorias" "movimentos sociais" e injustiçados em geral), na figura de Bane que, porém, segue cegamente as ordens do verdadeiro mentor intelectual da coisa toda (Talia). Qualquer semelhança com os governos socialistas/comunistas não é uma mera coincidência.
Por fim, temos a saga Guerra nas Estrelas que, apesar de ser em última análise a história de Anakin Skywalker, retrata de maneira mais fiel o que está se passando no Brasil. Em termos muitos gerais, a saga conta como uma "república de planetas", torna-se um "Império Galáctico". Para que isso aconteça, os Sith realizam todas as manobras possíveis para corromper o escolhido (Anakin) e criam uma série de conflitos que obrigam os membros da República a aprovarem a criação de um Império que dá plenos poderes ao Chanceler Palpatine (e assim termina a democracia... com uma salva de palmas, diria a senadora Padmé Amidala) com o intuito de combater a ameça dos rebeldes (ou seja, aqueles que não concordam com tal decisão) Após muita traições e acordos sombrios, os Jedis, guardiães da República, são assassinados à traição por ordem dele que, previamente, criou um Exército de Clones para servi-lo.
Sim, mas... E daí. Bom, daí que nós estamos vivendo no país algo muito parecido daquilo  que é mostrado no filme do Batman e saga Guerra nas Estrelas. Temos um governo que cada vez mais se pauta nas "minorias", "movimentos sociais" e afins e cujo líder é um homem cujo desejo único é "reconstruir na América Latina o que se perdeu no Leste Europeu". Lula é uma mistura de Talia com o Imperador Palpatine. Coisa de maluco teórico da conspiração... É mesmo é?
O governo do PT tenta, a todo custo, controlar a informação que chega ao cidadão comum. Isto começou com a provação do Marco Civil da internet e vai continuar com a aprovação do Marco Regulatório da Imprensa, sob aplausos da própria. O PT está implementando e vai aprovar a criação dos Conselhos de Participação Popular com a falsa idéia de ampliar a democracia quando, na verdade, fará com que seus partidários tenham plenos poderes para decidir o futuro do país, passando por cima daqueles que foram democraticamente eleitos para representarem a população. O governo do PT cria a Força Nacional de Segurança; faz vistas grossas quando um Ministro venezuelano vem tratar com o MST e, ainda, cria a Escola de defesa Sulamericana. Como arremate da obra, a Comissão Nacional da Verdade solapa os fatos históricos, criminaliza os agentes do Estado e trata como anjos os terroristas que hoje estão no poder, numa clara traição às Forças Armadas. É ou não é exatamente o que fez o Chanceler Palpatine em Guerra nas Estrelas?
Quanto àqueles que resolvem se opor a esta situação, o PT também tem seus métodos. Ou alguém aí já esqueceu da quebra do sigilo bancário do caseiro Francenildo? Ou da compra do Congresso Nacional pelo Mensalão? Ou da morte do prefeito Celso Daniel? Ou dos bilhões de dólares desviados da Petrobrás sabe-se para onde? E quanto ao escândalo dos Correios? E sobre as urnas eletrônicas operadas pela Smartmatic, empresa que foi processada e condenada por fraude nos EUA? O que mais será preciso para que as pessoas entendam que, no poder, temos uma organização criminosa e não um partido político normal?
É meus caros. A arte imita a vida. Estamos vivendo tempos retratados nas telonas. Pior. 1984 nunca esteve tão próximo. E ai de quem se oponha ao projeto e poder petista: será sumariamente eliminado. Afinal, em se tratando de julgar e condenar partidários da mesma causa, seus quadros contam com pessoas altamente qualificadas. Todo aquele que ousar levantar-se contra, será tratado como inimigo de Estado e serão impiedosamente caçados. Exatamente como fez Palpatine com os Jedis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário