segunda-feira, 13 de julho de 2015

Democracia de um Lado Só

Marcelo Freixo, deputado pelo Partido Socialismo e Liberdade (talvez a maior incoerência que eu já vi) comemorou, em sua página no Facebook, o fato de a população grega ter votado contra estar na zona do Euro. Segundo ele, a voz do povo foi ouvida e os interesses do capital foram atingidos. Viva a democracia, bradou. Porém, bastou um singelo comentário de Bene Barbosa em seu post para termos uma ideia do que significa democracia para a esquerda. Ele disse estar esperando pelo apoio de Freixo ao referendo que derrubou o desarmamento. E o resto... Bem, o resto é silêncio.
A democracia, para a esquerda, não é um fim em si mesma, mas um meio para que ela consiga colocar seu projeto de poder em curso e de lá nunca mais sair. É por isso que regimes totalitários podem ser democráticos, como é o caso de Cuba, onde todos votam em candidatos... De um mesmo alinhamento ideológico. Assim, qualquer escolha democrática só é válida se estiver alinhada com os interesses do partido (aqui, em sentido lato). Do contrário, é fruto de uma "sociedade conservadora-fascista-porco-capitalista-reaça que precisa ser reeducada.
Esse é o motivo pelo qual os grandes projetos da agenda socialista não são levados à votação popular, como é o caso do casamento gay, legalização das drogas, maioridade penal, aborto e mesmo o desarmamento, dentre outros. A esquerda sabe que a população brasileira é conservadora e que seria derrotada nas urnas. Sendo assim, prefere se esconder atrás de uma famigerada "opinião pública" que nada mais é do que a "opinião publicada", ou seja, aquela emitida por intelectuais, artistas e jornalistas com seus cérebros já devidamente lavados e programados a repetir os mantras socialistas. São essas as pessoas que efetivamente propõem leis que vão de encontro ao pensamento da maioria. Yuri Bezmenov explicou o processo minuciosamente em duas oportunidades: uma em palestra a universitários. Outra em uma entrevista a G. Edward Griffin.
Assim, a democracia somente é respeitada quando atende aos interesse das esquerdas. Duvida? Então porque o estatuto do desarmamento ainda não foi revogado? Pois é. Não obstante, o debate democrático só é possível quando se tem acesso a informação. E esta é solenemente censurada pelo jornalismo brasileiro, que nada mais é do que um grande cabo eleitoral da esquerda. Este, junto com o corpo acadêmico e artístico, é o responsável por promover uma modificação na percepção cultural, moral e religiosa da população brasileira que, mesmo assim, resiste às tentativas de fazê-la cobaias da engenharia social esquerdista.
A esquerda não admite contraditório, debate ou confronto de ideias. No terreno democrático, só aceita a vitória daquilo que ela defende. Qualquer resultado contrário é visto como fruto de uma "sociedade conservadora que ainda não evoluiu" e que precisa ser transformada. É aí que entram os formadores de opinião, "movimentos sociais" e professores. E é por isso que vemos as demandas das minorias sendo atendidas em detrimento da maioria.
Para ela, o sistema democrático é sempre válido e soberano... Desde que atenda sua ideologia.






2 comentários:

  1. Fala Morato! Excelente texto meu amigo! Um abraço! Albino 2002!

    ResponderExcluir
  2. É na relativização, e portando desconstrução de valores morais, que a esquerda faz o estrago que tem feito.

    ResponderExcluir