sábado, 28 de maio de 2016

Estuprador em Potencial.

No Rio de Janeiro, uma jovem é estuprada por trinta homens. No Rio Grande do Sul, um pai é preso acusado de violentar suas quatro filhas que possuem entre 2 e 7 anos. Notícias como esta etão se tornando cada vez mais comuns no nosso noticiários. Nós, mesmo calejados com os 60 mil homicídios anuais que assolam o país, recebemos com repulsa essas tristes notícias. O estupro é injustificado em todos os sentidos e em qualquer situação. E deve ser punido.
Diante de tamanhas atrocidades somos obrigados a ouvir alguns idiotas proclamarem aos quatro ventos que a violência contra a mulher advém de uma tal "cultura do estupro". Mas o delírio demente não para por aí. Para outros, todo o homem é um estuprador em potencial. Na verdade, este é um slogan do movimento feminista (aquele que não faz nada para ajudar as mulheres e acha que mostrar tetas caídas e sovacos peludos vai ajudar em algo) que alguns utilizaram para ilustrar sua indignação. Dentre ele, o famigerado colunista do grupo RBS, David Coimbra.
No programa "timeline" da rádio Gaúcha, ao ser tratado o assunto do estupro, o eminente escrivinhador soltou a pérola (não é uma transcrição literal): "as feministas estão certas. Todo o homem é um estuprador em potencial. Sua força física os torna uma ameaça. A história nos mostra isso". (Imediatamente após ouvir isso mandei o opinador para a puta que o pariu, desliguei o Rádio e já coloquei a "Gaúcha" fora de meus ouvidos. Só resta a programação esportiva).
Muito bem, seu David. Então todo o homem é um estuprador em potencial não é mesmo? Ora...CALA A BOCA BURRO! O fato do estupro ser cometido por alguns desequilibrados não implica que TODO O HOMEM tenha o desejo de estuprar alguém. Fale por ti, pelo teu pai, pelos irmãos, primos, sei lá. Mas não use sua limitada régua moral e cognitiva para generalizar. O que ocorre, na vida real, é precisamente o oposto: 99% dos homens gostaria de pegar estes estupradores e castrá-los a faca. 
São os homens que tem a capacidade de proteger as mulheres contra o ataque de outros homens. São os homens que dão proteção às mulheres. São os homens que irão atrás destes criminosos para eliminá-los. Foi um homem quem denunciou o estupro coletivo, seu David. Não foram suas amiguinhas feministas que não fazem absolutamente nada pelas mulheres. Aliás, foi um homem que deu à mulher a possibilidade de se proteger contra os agressores mesmo que não tenha outro homem para protegê-la. Seu nome? Samuel Colt. Mas ao que me consta, as feministas e jornalistas em geral são contra o porte de arma. Pudera! Encastelados em seus feudos, cercados de seguranças armados, fica fácil não é mesmo?
A argumentação do colunista é tão rasa, fraca e débil que não encontra sustentação quando transportamos a teoria para a realidade. E o que vemos é justamente o oposto que o iluminado David Coimbra nos faz crer: todo homem é um protetor em potencial. Afinal, basta que nos lembremos de um ensinamento que o machismo nos deu: em uma mulher, não se bate nem com uma pétala de flor. Imagine esse crime há uns cinquenta ou quarenta anos atrás. O que será que os homens da família da menina estuprada fariam com os estupradores? No mínimo dariam a cada um deles uma bela gravata vermelha no pescoço! E ainda temos que aturar um jumento desses dizendo que "todo homem é um estuprador em potencial"? Como podemos tolerar isso?
As paixões humanas são imprevisíveis e não podem ser generalizadas. Não existe "cultura do estupro" ou "todos os homens são estupradores em potencial". O que temos é a cultura da impunidade, onde os criminosos sabem que terão as Marias do Rosário da vida para defendê-los. O que temos é a destruição e corrupção da cultura brasileira, substituída por outra que sexualiza precocemente nossas crianças e deixa a mensagem de que o crime, às vezes, pode compensar. O que temos é uma campanha aberta pela ridicularização e destruição do cristianismo, principalmente o catolicismo, religião que mais protege as mulheres no mundo (uma de suas figuras centrais é uma mulher).
O que temos, são artistas, jornalistas e colunistas como David Coimbra que, movido por intensões obscuras, consciente ou inconscientemente, acabam retirando a responsabilidade individual do criminoso (no caso, os estupradores) e a passa para a inevitável condição de que se trata de um "macho da espécie humana", o que o torna um estuprador em potencial. Enquanto isso, achincalham e desacreditam o deputado Jair Bolsonaro, que quer a castração química dos estupradores.
Retirar a responsabilidade individual e diluí-la em uma fatalidade movida por uma "consciência coletiva" é o modus operandi do beautiful people brasileiro. É sempre a sociedade que o reprime ou, como entende o colunista, a condição biológica da espécie que o força a fazer algo que no fundo ele não quer. Aliás, uma pergunta ficou no ar: David Coimbra é um estuprador em potencial?




Um comentário:

  1. Falar em uma suposta "cultura de estupro" é fácil, mas nenhum desses DEFORMADORES de opinião se atreve a falar sobre a promiscuidade e outros fatores de risco mais inerentes ao ambiente onde a guria foi estuprada por medo de serem taxados de "racista" ou "higienista". E ainda querem trazer os tais "refugiados" de países onde existe, de fato, uma cultura de estupro baseada nos ensinamentos de um pedófilo lá da Arábia Saudita mas novamente preferem fazer vistas grossas à raiz do problema.

    ResponderExcluir